Home»BEM-ESTAR»COMPORTAMENTO»Receita para um regresso à escola sem stress

Receita para um regresso à escola sem stress

Setembro marca o regresso às rotinas, e inevitavelmente as crianças regressam à escola. Sem dúvida que este regresso dos mais pequenos à escola é um marco para toda a família pelos inúmeros desafios que naturalmente acarreta.

Pinterest Google+
PUB

As manhãs voltam a trazer consigo as correrias para que todos possam sair de casa a horas e muitas vezes esta fase é vivida com algum stress e ansiedade.

 

Mas não precisa de ser assim, pelo que convido a ler uma receita de sucesso, para um regresso à escola tranquilo.

 

VEJA TAMBÉM: QUIET QUITTING: A NOVA TENDÊNCIA FACE AO TRABALHO?

 

500 g de exemplo

Quando os pais estão calmos e serenos, é mais fácil que as crianças se sintam da mesma forma com o regresso à escola, por isso, relaxe e transmita confiança. Crianças em pânico são, quase na totalidade, filhos de pais em pânico.

 

Os comportamentos adotados pelas crianças são muitas vezes o espelho do que lhes é transmitido em casa, por isso, é importante que os pais tenham isso consideração, promovendo um ambiente tranquilizante e seguro.

 

450 g de atenção

Esteja atento às emoções, será mais fácil ajudá-los a enfrentar a realidade. Estimule a sua criatividade, autonomia e responsabilidade.

 

400 g de bom senso

Não seja um empecilho ao desenvolvimento da criança. Com calma e tranquilidade e numa linguagem adequada a cada faixa etária ajude a criança a lidar com cada dificuldade com que se depara. Lembre-se não vai estar sempre lá.

 

Não hipervalorize as situações e não crie cenários catastróficos. Com calma e tranquilidade avalie a realidade. Recorde que podemos prevenir, antecipar, mas é impossível controlar a realidade.

 

400 g de disponibilidade

Seja disponível.  As crianças necessitam primeiramente de ter os pais na sua vida, de forma presente e disponível, pois precisam da segurança que os pais transmitem, bem como do seu amor, afeto e interesse de forma contínua.

 

Esteja atento às solicitações emocionais da criança, respondendo com proximidade e consistência às suas necessidades afetivas facilitando o desenvolvimento da sua autoconfiança e das suas competências sociais, assegurando assim o seu bem-estar emocional.

 

400 g de planeamento

Um planeamento eficaz permite antecipar medos e ansiedades, encontrando, em ambiente controlado, estratégias para com eles lidar. Antes do primeiro dia de aulas, organize uma visita à escola para familiarizar a criança com o ambiente escolar. Depois dessa visita aborde com a criança o que sentiu, que dificuldades espera encontrar e como as vai resolver.

 

350 g de autonomia

Não caia na armadilha da superproteção. Promova a autonomia e aceite que é inevitável, a criança crescer e ter as suas próprias rotinas.

mochila

350 g de envolvimento

Envolva a criança na compra do material escolar. Este envolvimento cria compromisso e ligação emocional. Estipule um orçamento para o material escolar e estabeleça um valor máximo que não deverá ultrapassar.

 

Converse com a criança e explique o mais claramente possível que existe um limite a cumprir, mas que a escolha de todo o material se pode ajustar dentro desse valor, mas deixe-a ter alguma liberdade de escolha. Ou seja, tente dar algumas opções: se quiser ter uma mochila mais cara, deverá escolher uns cadernos mais básicos e baratos.

 

300 g de rotina

Durantes as férias, a hora de adormecer e acordar ficam por norma adiados para horários mais tardios. Tendo em conta que esta “reprogramação” dos ciclos de sono não se faz de forma imediata, é conveniente que na semana antes do início das aulas comece a adaptar gradualmente a criança aos novos horários de setembro. O mesmo é válido para os horários das refeições.

 

300 g de escuta ativa

Todas as mudanças são geradoras de ansiedade. Ainda que a criança vá para o mesmo ambiente escolar há sempre mudanças. A melhor forma de lidar com esta ansiedade é conversando, escutando os seus medos e receios. Não os considere “parvos ou sem razão de ser”, dado que para ele têm muita importância. Tente em conjunto com a criança analisá-los e encontrar possíveis soluções.

 

250 g de tranquilidade

Não insista para que nos últimos dias de férias as crianças façam tarefas escolares, com o intuito de recordar o que já aprenderam. Converse de forma informal sobre coisas engraçadas que se recorde que elas tenham aprendido e nessa conversa valorize todas as aprendizagens que a criança elencou e reforce que no próximo ano aprenderá ainda mais coisas que provavelmente gostará.

 

Por fim, junte todos os ingredientes, podendo fazer alguns ajustes nas quantidades, segundo a sua realidade e acrescente uma pitada de diversão a gosto. Lembre-se o regresso à escola é um grande momento, mas é um momento que se vai repetir todos os anos, por isso nada de correrias, stress ou ansiedade.

 

Prepare este momento com a criança a cada minuto, de uma forma divertida e única. Envolva-a atribuindo responsabilidades e privilégios e acima de tudo divirtam-se!

 

Lembre-se, é só mais uma etapa…

Descomplique.

Artigo anterior

Hiperplasia Benigna da Próstata: uma doença mais habitual e menos conhecida que o cancro da próstata

Próximo artigo

Corpo de sonho: Treze maneiras de controlar a retenção de líquidos