Home»ATUALIDADE»ESPECIALISTAS»Quistos do ovário – tipos e sintomas

Quistos do ovário – tipos e sintomas

Um quisto ovárico é qualquer coleção de uma substância líquida/semilíquida envolvida por uma parede fina (cápsula) de tecido que se forma dentro do ovário ou ao seu redor.

Pinterest Google+

Os quistos do ovário podem ser encontrados em mulheres de todas as idades, mas são mais frequentes no período da vida em que ela é fértil, podendo ocorrer em cerca de 15% da população pós-menopáusica.

 

Um quisto é uma lesão que pode surgir também em várias partes do nosso organismo. Assim um quisto pode ocorrer nos rins, na pele, no fígado, no pâncreas, no tecido mamário, no cérebro, nas cordas vocais e em muitos outros locais do corpo humano. Ele é por natureza uma lesão benigna, visto que é apenas uma acumulação de líquido em determinado tecido. Porém, em raros casos, tumores malignos podem ter aspectos semelhantes aos de um quisto. Por isso, uma avaliação cuidadosa é sempre importante.

 

Existem vários tipos de quistos no ovário, os mais comuns são denominados quistos funcionais, que se formam durante o processo de ovulação.

 

VEJA TAMBÉM: SÍNDROME DO OVÁRIO POLIQUÍSTICO: O QUE É E COMO SE MANIFESTA

 

1- QUISTOS FUNCIONAIS

 

Quisto folicular

A cada ciclo menstrual, as variações hormonais estimulam o crescimento de um folículo ovárico, que contém o ovócito no seu interior. Na maioria dos meses, a meio do ciclo menstrual, esse folículo rompe-se e liberta o ovócito em direção a uma das trompas. Esse processo chama-se ovulação.

 

Caso o folículo não consiga abrir para libertar o ovócito, ele continua a acumular líquido no seu interior e a crescer, formando um quisto. Todo o folículo que não rompe e que atinge, pelo menos, 2,5 cm de diâmetro é denominado de quisto folicular.

 

O quisto folicular é o quisto do ovário mais comum e ocorre principalmente em mulheres jovens e costuma desaparecer espontaneamente após algumas semanas.

 

VEJA TAMBÉM: QUAIS OS RISCOS DA TERAPÊUTICA HORMONAL DE SUBSTITUIÇÃO?

 

Quisto de corpo lúteo

Quando no momento da ovulação o folículo ovárico se rompe e liberta o ovócito, ele passa a se chamar corpo lúteo. O papel do corpo lúteo é produzir estrogénio e sobretudo progesterona de forma a preparar o útero e o organismo da mulher para receber uma gravidez. Caso não ocorra a fecundação, o corpo lúteo involui e desaparece em poucos dias.

 

O quisto de corpo lúteo forma-se quando logo após a ovulação o folículo se volta a fechar, passando a acumular líquido/sangue no seu interior. O quisto de corpo lúteo costuma ter mais de 3 cm de diâmetro e também desaparece espontaneamente após algumas semanas.

 

Medicamentos usados no tratamento da infertilidade, como o citrato de clomifeno (Dufine®) podem causar a formação de múltiplos folículos ováricos, originando um quadro clínico que se denomina síndrome de hiperestimulação ovárica e aumentam o risco de formação de quistos foliculares e do corpo lúteo.

 

Por outro lado, mulheres que encontram na menopausa, assim como as que tomam anticoncepcionais hormonais, não ovulam, por isso, não é esperado que venham a desenvolver quistos foliculares e do corpo lúteo.

Artigo anterior

Fogaça de Palmela é anfitriã de fins de semana gastronómicos

Próximo artigo

Salada alemã de batata