Home»BEM-ESTAR»COMPORTAMENTO»Quatro práticas para estar feliz… mais vezes!

Quatro práticas para estar feliz… mais vezes!

Se pudesse fazer algo pelos seus momentos felizes, fazia? Neste texto pode aprender quatro simples ações que pode fazer, sem precisar de mais nada além do que já tem, para estar feliz mais vezes. Interessada?

Pinterest Google+

Depois de falar de ser suficiente aqui, de relações aqui e de máscaras aqui; hoje escrevo-lhe sobre o que a neurociência mostra que pode fazer para estar feliz mais vezes!

 

Um artigo que li há uns tempos intrigou-me. Falava de quatro rituais, quatro práticas que qualquer pessoa pode fazer para estar mais feliz. O neurocientista Alex Korb estudou sobre o que cria uma espiral ascendente para a felicidade humana. Aqui partilho o meu resumo e visão pessoal das quatro práticas:

 

1 – Estar grata

Estar grata e perguntar-se sobre o que está grata aumenta em si o nível dos neurotransmissores dopamina e serotonina. A maior presença destes no seu corpo é essencial para a sua felicidade! Então, hoje, agora, está grata pelo quê?

Em vez de guardar a resposta só para si, partilhe com outras pessoas. Diga às pessoas à sua volta que está grata por as ter na sua vida, por poder falar com elas, por elas terem feito ou dito A, B ou C, por aquilo que quiser.

Então e quando se está a sentir mesmo mal, num momento em que não consegue ver uma coisa boa na sua vida?

 

Veja também: 10 mandamentos diários para ter uma vida feliz

 

2 – Simples: nomeie o sentimento que a está a inquietar

Como se está a sentir? Triste? Ansiosa? Furiosa? Desalentada? Pequena? Depois de observar, reconhecer conscientemente o que está a sentir aumenta a atividade na zona do seu cérebro que reconhece as emoções e diminui a atividade nos circuitos neuronais ativados pela emoção que está a nomear.

 

Em vez de rotular, apenas reconheça e chame pelo nome o que está a sentir. É como tratar pelo nome próprio uma visita em nossa casa. Não trata as suas visitas todas por Maria ou José, pois não? Nem trata o António por Miguel, nem a Raquel por Joana, certo? Então vamos começar a tratar o que sente pelo respetivo nome? Isso vai desenvolver a sua inteligência emocional e aumentar o seu poder pessoal! Praticar mindfulness é uma ótima forma de o fazer. Ah! E evite reprimir emoções. Por experiência já o deverá saber, elas não vão embora e por vezes voltam ainda com mais força!

 

Veja também: Os sete hábitos das pessoas verdadeiramente felizes

 

3 – Decida

De cada vez que decide algo está a reduzir os níveis de ansiedade e de preocupação em si. Incluindo criar intenções, decidir o que quer! Pode sentir que decidir pode ser difícil, é normal. Mas será que existe algum tipo de decisão menos difícil? Sim! A neurociência mostra que vai beneficiar mais ao começar a fazer mais decisões “boas o suficiente”. Esqueça lá a melhor decisão de sempre ou a decisão que agrada a todos. Acho que já sabe no que dá quando procura estas, não é? Habitualmente, em stress e mais stress.

 

Tentar ser perfeita pode ser assoberbante e, não sei como é consigo, mas nos momentos em que me vejo a procurar um perfeccionismo, muitas vezes fico a sentir-me sem controlo e sem capacidade de dar resposta. Então… é altura de tomar a decisão “boa o suficiente”! Isso vai ajudar a se sentir mais em controlo, com menos stress e a subir a dopamina em si. Faça mais decisões. Por si!

 

Veja também: Quer ser feliz?

 

4 – Dê abraços

O ser humano busca sentir-se amado e aceite pelos outros a algum nível. Se não o sente isso pode ser doloroso. Como uma dor física. Não sou eu que o digo, são descobertas da neurociência. Quando não nos sentimos amados ou aceites, o cérebro parece responder da mesma forma como se tivéssemos experienciado dor física.

 

Uma das formas mais poderosas de se ajudar a estar feliz é… receber o toque humano, particularmente com abraços. Sabe-se que o toque humano, afetuoso, torna-a mais persuasiva, impulsiona as capacidades em matemática, melhora o flirt, até aumenta a performance de uma equipa!

 

Também, reduz a dor e conforta. Seja dar as mãos ou dar abraços. Não um abraço pequeno nem um abraço rápido. Não. A neurociência recomenda abraços longos. Pois assim é libertada mais oxitocina, o que reduz a atividade da amígdala no cérebro humano. Pesquisas mostram que cinco abraços por dia fazem “milagres” pela sua felicidade!

 

O que espera? Saber por onde começar? Comece por enviar agora um email a mostrar a sua gratidão a uma pessoa; combine encontrar-se com alguém e aí dê-lhe um abraço.

Artigo anterior

Mais de dois terços das mulheres não atingem o orgasmo

Próximo artigo

Nike prepara-se para lançar o primeiro hijab para atletas