Home»GLAMOUR»BELEZA»Quando devemos passar da medicina estética para a cirurgia plástica

Quando devemos passar da medicina estética para a cirurgia plástica

A decisão sobre qual das alternativas deve seguir depende sempre de vários fatores e deve perguntar-se a si mesma: os efeitos que pretendo reverter são ligeiros ou já estão muito acentuados?

Pinterest Google+
PUB

Através da medicina estética, a paciente pode realizar determinados procedimentos sem necessitar de ser submetida a uma cirurgia plástica, o que possibilita a realização de um tratamento de curta duração, menos invasivo e com um pós-operatório de recuperação imediata.

 

Se, por outro lado, a paciente pretender uma solução mais definitiva, com resultados mais duradouros, deve recorrer à cirurgia plástica e ter atenção ao pós-operatório, ao invés de recorrer a um procedimento estético, cujos resultados têm curta a média duração.

 

A decisão sobre qual das alternativas deve seguir depende sempre de vários fatores e deve perguntar-se a si mesma: os efeitos que pretendo reverter são ligeiros ou já estão muito acentuados? Neste momento tenho disponibilidade para conseguir fazer uma cirurgia e preparar um pós-operatório em que possa necessitar de apoio e no qual terei de faltar ao emprego?

 

VEJA TAMBÉM: A BELEZA NÃO TEM IDADE: CONSIGA UM ROSTO MAIS JOVEM AOS 50 ANOS

 

Também a avaliação do profissional de saúde deverá pesar na decisão, tendo em conta o problema que pretende melhorar e ainda as suas características individuais e histórico de saúde.

 

Exemplos de procedimentos

Um exemplo concreto de um tratamento de medicina estética é a colocação de fios suspensores na face, um procedimento destinado a pacientes que apresentam uma flacidez ligeira a moderada no seu rosto e que pode ser facilmente corrigida em cerca de 45 minutos.

 

O recurso aos fios suspensores é a alternativa a uma cirurgia mais delicada e são colocados no consultório. Quando submetida a este procedimento, a paciente não precisa de se ausentar do seu local de trabalho por um longo período de tempo, podendo regressar imediatamente após o término da intervenção estética. Além disso, não necessita de ter cuidados especiais no pós-operatório.

 

Caso a paciente já apresente um grau de flacidez mais elevado e pretenda um resultado permanente e mais global, deve recorrer à cirurgia plástica chamada facelift. Desta forma, alcança um rejuvenescimento completo da sua face e/ou pescoço, reduzindo as marcas de envelhecimento e restituindo o volume para um rosto equilibrado. Nesta opção, a paciente já terá de ter em conta a necessidade de tempo para recuperação em pós-operatório.

 

A rinomodelação é também um procedimento estético não-cirúrgico realizado em consultório, para casos em que a paciente pretenda corrigir pequenas irregularidades no seu nariz, como por exemplo na pirâmide nasal, através da aplicação de preenchimento com ácido hialurónico. Os resultados após o tratamento são imediatos e a paciente pode regressar à sua atividade profissional logo que possível.

 

Para determinadas situações em que deseja fazer alterações estéticas mais importantes e ainda funcionais no seu nariz de forma a conseguir um resultado definitivo, deve recorrer à cirurgia da rinoplastia, cuja diferença reside no facto de que a intervenção cirúrgica em questão é realizada em bloco operatório, com um resultado mais completo e com um pós-operatório que precisa de ter mais cuidados.

 

 

 

Artigo anterior

Quais são e como limpar os sítios esquecidos que acumulam pó e sujidade

Próximo artigo

Alergias de primavera: saiba atenuar os sintomas