Home»BEM-ESTAR»COMPORTAMENTO»Programação Neurolinguística: como atingir uma vida feliz através do exercício da mente

Programação Neurolinguística: como atingir uma vida feliz através do exercício da mente

Cada vez mais, o stress a que se está sujeito no dia-a-dia leva a que os níveis de ansiedade disparem não só nos adultos, mas também nos adolescentes e nas crianças. Para prevenir estes efeitos é necessário adquirir competências que permitam uma vida serena e feliz. Eugénia Fonseca é formadora de Programação Neurolinguística e explica todos os benéficos que a prática pode trazer ao seu bem-estar.

Pinterest Google+

Segundo o Instituto Internacional de Programação Neurolinguística, esta funciona como uma ferramenta que potencia a comunicação, o comportamento e a evolução humana e tornou-se numa das técnicas mais usadas no século XXI.

 

«A Programação Neurolinguística (PNL) apresenta um conjunto muito alargado de métodos para compreender como as pessoas pensam, como se comportam e mudam. Esta riqueza metodológica torna quase impossível dar uma única definição do que é a PNL», explica Eugénia Fonseca.

 

Assim podemos considerar que «a PNL quando nasceu tinha como objetivo perceber os processos mentais de como alcançar a excelência nas diferentes áreas da nossa vida. Permite aprender os componentes e as estratégias de como os outros fazem algo bem feito».

 

VEJA TAMBÉM: SINAIS DE QUE O STRESS SE PODE ESTAR A TRANSFORMAR NUMA DEPRESSÃO

 

Mais do que isto, a Programação Neurolinguística é também sobre a compreensão dos processos mentais, nomeadamente para perceber como fazemos o que fazemos, como sabemos o que sabemos, como é que sabemos que uma recordação é boa ou desagradável, como é que fazemos para nos sentirmos assustados ou felizes num determinado momento ou como é que fazemos para gostarmos de algo ou de alguém?

 

Eugénia Fonseca explica ainda que é possível definir a PNL decompondo-a nos vários termos: «A programação refere-se à maneira de organizar a nossa experiência subjetiva de modo a produzir um determinado resultado, são os nossos padrões de comportamento e de pensamento, nem sempre funcionais, mas que ainda não conseguimos alterar».

 

«Fala-se de neuro, porque tudo o que pensamos, sentimos e fazemos nasce nos processos neurológicos dos sentidos e tem um imprinting específico no nosso sistema nervoso central. Já a linguística refere-se ao uso da linguagem como um elemento fundamental na organização das impressões sensoriais, a organização da nossa linguagem resulta na criação de um modelo do mundo. Os nossos padrões mentais, que se encontram “impressos” no nosso sistema nervoso central, têm manifestação física exterior nos diferentes contextos da nossa vida, sob a forma de linguagem verbal e não verbal», completa a formadora.

 

VEJA TAMBÉM: SETE REGRAS BÁSICAS PARA SER FELIZ E SAUDÁVEL

 

A Programação Neurolinguística estuda a mente humana e a experiência subjetiva de cada pessoa. Eugénia Fonseca explica que a técnica «dá a compreensão de como construímos os nossos pensamentos, como construímos as nossas emoções e a forma como construímos os nossos comportamentos, os que queremos ter e os que não queremos ter».

 

No momento em que se sabe este como, sabe-se como dirigir ou otimizar este processo, «na base da otimização está a plasticidade neuronal que se refere à capacidade de o sistema nervoso mudar, adaptar-se e moldar-se a nível estrutural e funcional quando é sujeito a experiências diferentes». Desta forma, a PNL permite melhorar a qualidade de vida e as experiências relacionais em qualquer contexto, pessoal ou profissional.

 

Artigo anterior

Sabe o que é estar anestesiado? Os mitos que envolvem uma especialidade médica única e transversal

Próximo artigo

Castanhas e mais castanhas: conhece bem este fruto de outono?