Home»VIDA»CARREIRA»Procura emprego depois dos 50 anos? Veja como fazer da experiência um ativo valioso

Procura emprego depois dos 50 anos? Veja como fazer da experiência um ativo valioso

A longevidade é cada vez maior e os governos acompanham esta realidade aumentando a idade da reforma. Além disso, a pandemia veio a agitar as águas do mercado laboral e é de esperar que haja mais movimento de profissionais acima dos 50 anos. Prevendo este muito provável cenário, a consultora Adecco Portugal reuniu oito orientações para que um candidato a uma entrevista de emprego acima desta faixa etária seja bem-sucedido.

Pinterest Google+
PUB

No dia 10 de março foi publicada em Diário da República a Portaria n.º 53/2021 que atualiza para 66 anos e 7 meses a idade normal de acesso à pensão de velhice do regime geral da Segurança Social em 2022. Em Portugal, a população entre os 50 e os 69 anos é superior a 2.700 milhões de pessoas, de acordo com dados de 2019 do INE/Pordata. Resumindo, pessoas que hoje estão com 50 anos, podem perspetivar uma carreira de quase duas décadas ou mais, se não quiserem reformar-se com a idade legal para o efeito.

 

Os dados não mentem e é mais do que sabido que, numa altura em que a pirâmide etária está invertida, que a população mundial está cada vez mais envelhecida, e Portugal não é exceção, a sociedade tem que lidar com o facto de ter que encaixar no mercado laboral profissionais com idade superior a 50 anos. É também uma aprendizagem mais intensa deste período pandémico que as necessidades de reskilling e upskilling são transversais a todas as gerações em idade ativa, pelo que o candidato que perspetiva continuar a lutar por novos objetivos de carreira para além dos 50 anos tem um belíssimo potencial para oferecer ao mercado de trabalho.

 

Mas se estes profissionais trazem na bagagem a experiência como vantagem, também têm à sua frente enormes desafios, em particular se não são candidatos para um novo emprego há muito tempo. Em 10 anos, o cenário alterou-se significativamente, e a um ritmo ainda mais acelerado neste último ano e meio. Mas os desafios representam oportunidades. Mesmo que a opção para mudar de trabalho e empresa passe pelo networking, há questões que o candidato deve observar.

 

VEJA TAMBÉM: É O FIM DO HORÁRIO DAS 9H ÀS 18H E DA SEMANA DE CINCO DIAS?

 

DICAS PARA PASSAR NA ENTREVISTA DE EMPREGO SE TIVER MAIS DE 50 ANOS

 

#1 SER CONCISO E EFICAZ
Num formato de entrevista comportamental, é provável que os trabalhadores mais velhos tenham muitas experiências a discutir. As perguntas costumam avaliar o comportamento do candidato no passado e o que fizeram para lidar com certas situações. Servem para comprovar competência, como solução de problemas, análise, criatividade, resiliência, escrita, falar em público, trabalho em equipa, persuasão, metas quantitativas, pensamento crítico e até empatia. A chave é responder a estas questões comportamentais com a técnica STAR (Situação, Tarefa, Ação, Resultado) de forma ajustada e clara. O que não quer fazer é aborrecer o seu entrevistador. É preciso lembrar que o tempo de atenção humana é muito mais curto nos dias de hoje.

 

#2 SER CONFIANTE E HUMILDE
A idade e a experiência dos trabalhadores mais velhos trazem conhecimentos e uma nova perspetiva, e é preciso tirar daí a confiança. No entanto, a humildade também pode ajudar. Reconheça que enquanto traz muito para a mesa, tem a certeza de que pode aprender mais.

Posicionar-se desta forma perante o entrevistado, ajudará a garantir que não está a procurar entrar e impor o que sabe, que tem capacidade de adaptação a novas situações e que está disposto a trabalhar em equipa.

 

#3 PREPARAR-SE PARA A ENTREVISTA VIRTUAL
Cada vez mais, as empresas estão a utilizar a videoconferência para realizar entrevistas iniciais com potenciais candidatos. Familiarize-se com a plataforma e teste-se para se certificar de que tudo está configurado corretamente. Poderá também considerar a realização de uma entrevista simulada com um amigo ou serviço profissional para se sentir confortável com o formato.

 

#4 NÃO TENHA RECEIO DE FALAR DOS SEUS CONHECIMENTOS DE TECNOLOGIA, OU DA FALTA DELES
Falando de tecnologia, uma das razões pelas quais o envelhecimento existe é porque as gerações mais jovens são nativas da tecnologia e são previsivelmente melhores do que alguém na casa dos 50 anos. É claro que não é necessariamente esse o caso. Procure oportunidades durante a entrevista para mencionar como se tem mantido a par das últimas tecnologias na sua área profissional. Se domina as ferramentas e plataformas atuais, explique como as aproveitou para resolver problemas ou criar resultados no seu último trabalho. Desta forma, terá mais hipóteses de conseguir passar pela entrevista de emprego.

 

Continua na próxima página…

 

Artigo anterior

Dentição saudável: a relação entre periodontite e hipertensão arterial

Próximo artigo

Recuperar o contorno abdominal após uma cirurgia plástica