Home»COVID-19»Preserve: a plataforma que pretende ajudar a economia local a enfrentar a COVID-19

Preserve: a plataforma que pretende ajudar a economia local a enfrentar a COVID-19

O projeto permite que estabelecimentos dos mais variados setores vendam vouchers online, a serem utilizados depois quando os negócios voltarem ao seu normal funcionamento, criando assim receitas imediatas. Entre os parceiros do projeto estão já várias associações comerciais.

Pinterest Google+
PUB

Chama-se Preserve e é o mais recente projeto criado pela comunidade tech4COVID19, que nasceu com o intuito de ajudar a contrariar as quebras de receita dos negócios locais por todo o país, causadas pelo encerramento de forma a evitar a propagação do Covid-19. Com a plataforma, é possível ajudar empresas como restaurantes, cafés, mercearias, entre outras, a terem algumas receitas, mesmo não estando em atividade.

 

O projeto permite que estabelecimentos dos mais variados setores afetados vendam vouchers online, a serem depois utilizados pelos seus compradores quando os negócios voltarem ao seu normal funcionamento, criando assim receitas imediatas e ajudando no pagamento de salários, fornecedores e outros encargos, que estão, neste momento, em risco.

 

VEJA TAMBÉM: AIR4ALL: O VENTILADOR PORTUGUÊS SEM FINS LUCRATIVOS JÁ TEM PROTÓTIPOS

 

O pagamento dos vouchers é feito através da Instituição de Pagamento euPago, que rescindiu de parte das suas comissões, para que as empresas recebam a totalidade do valor, sem quaisquer taxas adicionais. Para comprar vouchers ou para que os proprietários inscrevam de forma gratuita os seus estabelecimentos na plataforma, é apenas necessário que se dirijam ao site Preserve.

 

Entre os parceiros do projeto, estão já a Associação Comercial de Braga, a Associação Comercial Distrito de Évora, a Associação Comercial do Porto, a Pro.var – Promover e Inovar a Restauração Nacional, a Associação Comercial e Industrial de Évora, a Associação Empresarial de Viana do Castelo, a Edições do Gosto e a Made of Lisboa.

 

«A pandemia e a situação de emergência que hoje vivemos está a ser particularmente difícil para negócios locais, principalmente nos setores de hotelaria e restauração, e é nestes momentos que se vê a fibra das pessoas, da sociedade e de um país. A Preserve surge com o objetivo de possibilitar a transmissão de energia de uma comunidade pronta a ajudar quem mais precisa. Para tal, contamos com o esforço de dezenas de voluntários que estão a passar noites, fins de semana e tempos livres a trabalhar por uma boa causa», afirma Ricardo Gonçalves, responsável pelo projeto.

 

VEJA TAMBÉM: DE PORTUGAL PARA O MUNDO: MÚSICA ‘ANDRÀ TUTTO BENE’ É GRITO DE ESPERANÇA

 

O projeto insere-se no tech4COVID19, movimento criado por um grupo de fundadores da comunidade tecnológica portuguesa que pretende desenvolver soluções tecnológicas que ajudem a população a ultrapassar o desafio da COVID-19.

 

Atualmente, com mais de 4700 voluntários mais variadas áreas, tem em curso cerca de 30 projetos de apoio às mais diversas esferas da população, para ajuda no combate ao vírus. Entre outros, destacam-se projetos para a melhoria do rastreamento de redes de contágio, facilitar videochamadas entre médicos e doentes; criar uma rede de suporte a médicos e enfermeiros deslocados ou a pessoas que, simplesmente, necessitam de ajuda para comprar bem essenciais ou ir à farmácia; criar um chatbot para se tirarem dúvidas dos apoios concedidos pelo estado às empresas e às pessoas singulares; acelerar a compra de material hospitalar e lançar uma angariação de fundos para compra desse mesmo material; disseminar informação, recrutamento e coordenação de profissionais de saúde ou ainda criar um sistema que permita à população verificar sintomas sem necessidade de ir ao médico.

 

Leia mais sobre COVID-19 neste link.

 

 

Artigo anterior

Amêndoas da Páscoa: de 8 a 39 calorias cada uma

Próximo artigo

O que comer no pós-treino