Home»LAZER»DICAS & VIAGENS»Pousada de Setúbal vai ser recuperada e duplicar capacidade

Pousada de Setúbal vai ser recuperada e duplicar capacidade

Com uma localização privilegiada, a pousada integrada no forte de S. Filipe está com atividade suspensa desde 2014, por instabilidade da encosta onde está inserida na Serra da Arrábida. O projeto de recuperação foi agora apresentado.

Pinterest Google+

As Pousadas de Portugal acabam de anunciar o projeto para a reabertura da Pousada de Setúbal no Forte de S. Filipe, com um investimento de um milhão de euros para a remodelação e ampliação desta unidade histórica. Veja algumas imagens na galeria acima.

 

Localizada num Monumento Nacional, sobranceira à cidade de Setúbal, ao Estuário do Sado e à Península de Tróia, a Pousada de Setúbal foi objeto de um projeto de arquitetura para reconfigurar o espaço e melhorar as condições de comodidade e serviço que caracterizam a marca, incluindo alterações na área da receção, reconfiguração do local do restaurante e renovação da decoração do espaço.

 

A proposta apresentada para a intervenção desta Pousada de Portugal mais do que duplica a capacidade dos quartos, com a ampliação total para 35 unidades, quando originalmente disponibilizava apenas 16. Para garantir o pleno funcionamento desta unidade, o PHG acrescentará 10 postos de trabalho aos 15 já estabelecidos que, por ocasião da suspensão da atividade de Pousada de Portugal, tinham sido reconduzidos para outras unidades da rede.

 

VEJA TAMBÉM: OSTRAS, O SUPERALIMENTO QUE ESTÁ DE VOLTA AO SADO

 

De notar que a Pousada de Setúbal suspendeu a atividade em 2014, devido a problemas de instabilidade na encosta da Serra da Arrábida, entretanto em fase de resolução pela Câmara Municipal de Setúbal.

 

O presidente das Pousadas de Portugal, Luís Castanheira Lopes, afirmou durante a apresentação que «a concretização deste projeto é a realização da visão que temos para a marca Pousadas de Portugal, ao contribuir para a dinamização da economia local de uma região em franco crescimento, não só através do reforço da capacidade hoteleira, mas também, com a criação de postos de trabalho». Termina o seu discurso reforçando a «importância da reabertura de um Monumento Nacional que será assim devolvido ao público com novos espaços e melhores serviços, preservando toda a sua autenticidade».

 

Depois de a Câmara Municipal de Setúbal aprovar o projeto, serão necessárias obras com a duração estimada de um ano.

 

 

Artigo anterior

Abortos de repetição: causas genéticas e fatores ambientais

Próximo artigo

The Famous Fest: O festival mais engraçado está de volta a Lisboa