Home»VIDA»CASA & FAMÍLIA»Portugueses recorrem a vales de desconto para pagar menos

Portugueses recorrem a vales de desconto para pagar menos

Investigação realizada no IPAM - The Marketing School revela que bens alimentares representam uma em cada cinco compras feitas com vales

Pinterest Google+

Os cupões de desconto são cada vez mais alvo da atenção dos consumidores, de tal forma que os portugueses são já apelidados de “promodependentes”. Quem é que usa vales de desconto? Com que frequência? E que artigos é que figuram na lista de compras efetuadas com recurso a vales de desconto? Estas são algumas das questões às quais o mais recente trabalho de investigação levado a cabo pelo IPAM – The Marketing School procura dar resposta.

 

A primeira grande conclusão reforça a tese da promodependência: 85 por cento dos consumidores assumem que andam à caça de promoções, usufruindo de vales de desconto para embaratecer as compras. Cerca de dois em cada três consumidores (63,7 por cento) empenham-se ocasional ou mesmo frequentemente para obter cupões de desconto.

 

Bens alimentares são os produtos que os portugueses mais adquirem com recurso a vales de desconto, representando uma em cada cinco compras realizadas com cupões (21,9 por cento), seguindo-se nesta lista os produtos de higiene e limpeza (15 por cento) e o vestuário e calçado (8,5 por cento).

 

O estudo do IPAM revela, de igual modo, que os cartões de fidelização são a “companhia” de cada vez mais consumidores portugueses na ida às compras. Mais de um em cada três inquiridos (36 por cento) revela que é através destes cartões que contactam e tiram partido de campanhas promocionais.

 

O trabalho do IPAM mostra que as atitudes face ao uso de cupões de desconto divergem totalmente entre homens e mulheres. O sexo feminino revela-se mais sensível ao preço, enquanto o homem privilegia a dimensão “tempo”. Os folhetos e newsletters são para metade dos consumidores (50,1 por cento) a principal fonte de obtenção de cupões promocionais, seguindo-se as sms (47,5 por cento) e o e-mail (46,1 por cento). Outro dado importante que emerge da investigação é a de que a frequência de utilização de vales de desconto aumenta em proporção com a idade dos consumidores. O escalão etário entre os 31 e 45 anos representa metade dos consumidores que utilizam vales de desconto.

 

“Os Deal Seekers e as atitudes face aos cupões de desconto” é o título do estudo levado a cabo por Lídia Branco, no âmbito da tese de mestrado em Gestão de Marketing, realizado no IPAM – The Marketing School. A investigação tem por base a realização de 466 entrevistas.

 

Artigo anterior

Estudo de Harvard mostra a importância de reduzir o consumo de gordura saturada

Próximo artigo

Está grávida e não sabe o que vestir? Nós ajudamos.