Home»ATUALIDADE»NOTÍCIAS»Portugal vai ter um Caminho de Santiago por mar

Portugal vai ter um Caminho de Santiago por mar

O novo percurso será realizado em barco à vela e será composto por nove etapas, de Vila Real de Santo António a Vila Garcia de Arousa. A viagem inaugural arranca a 28 de maio.

Pinterest Google+
PUB

A pé, de bicicleta ou a cavalo são algumas das formas de fazer a rota de peregrinação mais antiga da Europa. Este ano, Portugal tem uma nova proposta para o percurso que o liga a Santiago de Compostela, em Espanha: um caminho a realizar a vela, o primeiro “Caminho Marítimo de Santiago”, em território nacional.

 

A proposta nasce da parceria entre a Upstream Portugal – Valorização do Território e o Fórum Oceano – Associação da Economia do Mar e tem como mote “Santiago chama-te. Vai com o Vento”.

 

Este novo projeto visa reforçar a visibilidade internacional dos itinerários portugueses dos Caminhos de Santiago e potenciar, simultaneamente, a partilha de sinergias entre os percursos terrestres e marítimos. Através desta iniciativa, o projeto procura também obter a certificação de “Caminho Português de Santiago”.

 

VEJA TAMBÉM: CORRIDA EM ÁGUAS ABERTAS ESTÁ DE VOLTA A SETÚBAL

 

Refira-se que o novo e primeiro “Caminho Marítimo de Santiago” em Portugal pretende recriar, na costa portuguesa, a viagem da “Barca de Pedra” que, segundo reza a lenda, no primeiro milénio, transportou o corpo do Santo peregrino desde Jaffa, na Palestina, até Campus Stella, na Galiza.

 

Este novo Caminho não será, contudo, dedicado apenas à exploração deste lado mais tradicional, voltado para a vertente espiritual e religiosa, propondo aos “viajantes nautas” a exploração da paisagem costeira, a redescoberta da história e da cultura locais e a promoção do espírito de entreajuda e solidariedade nauta.

 

Itinerário: de Vila Real de Santo António a Vila Garcia de Arousa

O Caminho náutico – composto por nove etapas, em Portugal – terá início em Vila Real de Santo António e o itinerário prevê paragens nos portos de Vilamoura, Lagos, Sines, Cascais, Peniche/Nazaré, Ria de Aveiro, Leixões e Viana do Castelo.

 

A escolha de alguns destes portos parte do pressuposto que a passagem da Barca por terras lusitanas teve como suporte os portos romanos existentes à data. Os “viajantes nautas” terão também a possibilidade de navegar entre os locais que estão historicamente associados ao culto e à Ordem de Santiago.

 

O cruzeiro segue posteriormente em direção a Baiona, terminando no porto de Vila Garcia de Arousa, na Galiza (Espanha), local a partir do qual os nautas terão de completar o percurso a pé até Santiago de Compostela. Este itinerário por mar será realizado num total de 17 dias, perfazendo cerca de 500 milhas náuticas.

 

(abrir a imagem em novo separador para aumentar)

Com base no processo de investigação documental e de sistematização das evidências históricas e geográficas – apesar da escassez de informação documental e ausência de uma cronologia de relatos rica e fidedigna –, o projeto propõe-se, ainda, a facultar informação sobre portos alternativos nas diferentes regiões do país, sejam eles marítimos ou fluviais.

 

Esta possibilidade dará total liberdade aos “viajantes nautas” para adaptarem a sua viagem, até porque “o Caminho faz-se navegando”. Um dos objetivos deste novo “Caminho Marítimo de Santiago” passa, assim, pelo reconhecimento destes locais como “Portos de Santiago”.

 

Viagem inaugural

A viagem inaugural do “Caminho Marítimo de Santiago” está agendada para o dia 28 de maio. Este momento irá contar com a presença de cerca de 20 embarcações (veleiros convidados), entre as quais a Caravela Vera Cruz, assim como várias embarcações internacionais.

 

A ação conta ainda com o apoio institucional da Marinha Portuguesa. No total, serão cerca de 150 os participantes a embarcar neste cruzeiro. A viagem está prevista terminar a 13 de junho em Padrón, Espanha.

 

 

Artigo anterior

Chá de hibisco: um auxiliar poderoso na dieta

Próximo artigo

Cottage, o queijo rico em proteínas e baixo em calorias