Home»LAZER»DICAS & VIAGENS»Portugal tradicional: descubra destinos imperdíveis no país

Portugal tradicional: descubra destinos imperdíveis no país

Aproveite o tempo ameno do outono para descobrir muitos cantos e recantos dignos de visita no país. Estes estão fora dos principais roteiros turísticos, mas são imperdíveis.

Pinterest Google+
PUB

Guimarães

Berço da fundação da identidade nacional portuguesa e da língua portuguesa no séc. XII, Guimarães é outro dos tesouros de Portugal. Classificada como Património Cultural da Humanidade pela UNESCO, Guimarães é uma pitoresca cidade, cheia de vielas sinuosas e casas antigas, que nos conduzem à sua praça principal, o Largo da Oliveira, e ao antigo Palácio Ducal. Todos os anos, na primeira semana de agosto, celebram-se as Festas Gualterianas (realizadas desde 1452), ao estilo medieval, com um mercado de artesanato, feira de artes e um animado desfile de trajes antigos. Guimarães foi ainda eleito pelo ‘New York Times’ como um dos 41 locais a visitar, considerando mesmo este local como um dos emergentes pontos culturais da Península Ibérica.

 

Parque Nacional da Peneda-Gerês

Mais de 70 mil hectares de vales íngremes, florestas de exuberantes carvalhos e perfumados pinheiros, cascatas e miradouros. É assim no Parque Nacional da Peneda-Gerês, o único parque nacional de Portugal. Localizado no Minho, a cerca de 100 km do Porto, este parque é um verdadeiro convite à apreciação da natureza no seu estado mais puro. Abrangido por cinco concelhos e apenas habitado por oito a nove mil pessoas, neste parque permanecem centenas de aldeias de granito, que pouco mudaram desde o século XII. Um dos locais mais bonitos de Portugal à espera de ser descoberto.

 

Buçaco

Desconhecida por muitos, a Serra do Buçaco é uma elevação marcada pelo encanto da sua flora e pelo peso da sua história. No extremo da serra, a 547 metros de altitude, encontra-se a Mata Nacional do Buçaco, uma área de 105 hectares, considerada Monumento Nacional, desde 1943. Classificada por botânicos como um dos melhores arboretos da Europa e por poetas como o “altar da natureza”, possui mais de 700 espécies de árvores (exóticas e indígenas). Depois de se perder pelos caminhos da serra, descanse no Palácio Bussaco, um dos mais belos edifícios neomanuelinos de Portugal, ou visite o Convento de Santa Cruz, onde o General Wellington pernoitou durante a batalha do Buçaco.

 

VEJA TAMBÉM: PALMELA, UMA VILA HISTÓRICA COM VISTA INTERMINÁVEL

 

Serra da Estrela

Uma das mais interessantes particularidades no nosso país é ser tipicamente um destino de sol, calor e praia, mas ter a capacidade de se transformar no mais perfeito destino de inverno, cobrindo-se de neve. Área demarcada e protegida, com 1993 metros de altitude, a Serra da Estrela é uma surpresa constante, que mantém a pureza de sempre, apesar das muitas atividades turísticas oferecidas na região, de verão e de inverno (que incluem, entre outras, ski, snowboard, passeios pedestres, canoagem, BTT, jogos de orientação, parapente, rappel ou escalada).

 

Parque Natural de São Mamede

A norte do Alentejo encontramos o Parque Natural de São Mamede, onde as passagens por Portalegre, Marvão e Castelo de Vide são incontornáveis. Cidade próspera e rica nos séculos XVII e XVIII pelo investimento na indústria têxtil, Portalegre é, ainda hoje, conhecida por essa tradição. Depois de uma visita ao Museu das Tapeçarias, ao Castelo e à grande Sé, é altura de seguir até ao Castelo de Marvão, onde somos invadidos por horizontes largos e por uma tranquilidade inesgotável. Local de ruas estreitas e recantos pitorescos, o Marvão é uma vila medieval de visita obrigatória. A menos de 10km, encontra-se Castelo de Vide, uma das mais bem preservadas judiarias de Portugal. A antiga sinagoga, atualmente um museu, e as características ruas que parecem labirintos, dão-nos conta da presença judaica e da sua cultura.

 

Tomar

Para conhecer um conjunto monumental que marca sete séculos da história de Portugal e de grandes momentos da história do Ocidente é preciso rumar até Tomar. Património da humanidade, inscrito na lista do património mundial da UNESCO, em 1983, o Convento dos Cavaleiros de Cristo e o Castelo dos Templários são uma joia ímpar da nossa história. O Convento integra alguns dos mais expressivos testemunhos da história da arquitetura portuguesa, como a Charola românica da igreja, o claustro de D. João III e a famosa janela manuelina da Sala do Capítulo. Um capítulo da nossa história que não podemos deixar de visitar.

Óbidos

Com pouco mais de 2 mil habitantes, Óbidos é uma das mais românticas cidades medievais da Europa. Dada como prenda de casamento pelo Rei D. Dinis à Rainha Isabel, em 1282, esta vila é conhecida pelas suas pitorescas ruas de paralelepípedos, casas caiadas com contorno colorido e flores nas fachadas. A sua rua principal, que se inicia na porta da cidade (decorada com azulejos do século XVIII), leva os turistas até à praça principal, a Praça de Santa Maria. Aqui encontra uma fonte, um Pelourinho do século XV, o Museu da cidade e a Igreja de Santa Maria.

 

Mértola

Esta é uma pequena e pitoresca vila no distrito de Beja, mas não se deixe enganar pelo seu tamanho – há muito para ver e descobrir. Numa verdadeira viagem pelo tempo, poderá visitar o castelo e os muitos núcleos museológicos da vila – os núcleos Islâmico, da Basílica Paleocristã e Romano; os núcleos de Arte Sacra e Tecelagem ou ainda o núcleo da Achada de S. Sebastião. A Forja do Ferreiro, a Torre do Rio ou a Torre do Relógio são outras das atrações. A Mina de São Domingos também é um ponto de paragem imperdível. Um local que combina harmoniosamente história, património, gastronomia e natureza.

 

Monsaraz

Esta é considerada uma das mais antigas vilas do nosso país. Com uma atmosfera medieval e casas caiadas de branco, Monsaraz goza de uma incrível vista sobre as antigas e pequenas casas da vila e dos campos que se estendem em direção ao rio Guadiana, na fronteira entre Portugal e Espanha. Nesta encantadora vila, os turistas poderão visitar, entre outros pontos de interesse, a Igreja de Nossa Senhora da Lagoa, a Torre de Menagem, o Pelourinho ou a Praça de Armas do Castelo. Há ainda a possibilidade de visitar monumentos megalíticos – como o Cromeleque do Xerez, o Menir do Outeiro, o Menir da Belhoa ou as Antas 1 e 2 do Olival da Pega -, mas também o Centro Oleiro de S. Pedro do Corval, considerado o maior do país, a fábrica das mantas alentejanas, ou desfrutar ainda do Grande Lago do Alqueva.

 

Comporta

A Comporta, a apenas uma hora de Lisboa, é um dos destinos em ascensão, mas ainda pouco conhecido pela maioria dos turistas. Considerado pela ‘Condé Nast Traveler’ como um destino obrigatório, fora dos radares turísticos, a Comporta é conhecida pelas suas praias de areia branca, mar azul e aspeto paradisíaco. Para além de pôr os pés na areia, poderá passear no porto palafítico da Carrasqueira, visitar e comer no Museu do Arroz, andar a cavalo, ver golfinhos ou dar um passeio de balão.

 

 

Artigo anterior

Maças, chá e moderação: os três ingredientes para uma vida longa

Próximo artigo

Porto de Lisboa eleito pela sétima vez como melhor porto de cruzeiros da Europa