Home»GLAMOUR»MODA»Portugal Fashion estreia-se em África

Portugal Fashion estreia-se em África

A Mozambique Fashion Week vai receber três estilistas portugueses, naquela que é a terceira estreia do ano, depois das apresentações em Berlim e Milão. Miguel Vieira, Roselyn Silva e Micaela Oliveira marcam esta estreia em território africano.

Pinterest Google+
PUB

O Portugal Fashion produz, no próximo dia 11 de dezembro, em Maputo, os desfiles de Mi-guel Vieira, Roselyn Silva e Micaela Oliveira, no âmbito da Mozambique Fashion Week.
Com esta ação pioneira em território africano, o projeto da ANJE – Associação Nacional de Jovens Empresários encerra o seu roteiro internacional com a terceira estreia do ano. Depois das inéditas apresentações em Berlim e Milão, o Portugal Fashion associa-se à mais «dinâmi-ca» semana de moda de África com o propósito de fortalecer o papel dos mercados lusófo-nos na sua estratégia de internacionalização.

«Não há duas sem três. O ano que estamos a encerrar foi de celebração e conquistas. A co-memoração dos 20 anos do Portugal Fashion deixará marcas na história do projeto com a es-treia em três mercados. Concretizada a aproximação às Semanas de Moda de Berlim e Milão, fechamos com uma aposta que é estratégica para a moda e para os negócios nacionais: a Lu-sofonia. A Mozambique Fashion Week é um dos mais importantes certames do continente Africano e representa a materialização de um novo drive no roteiro internacional do Portugal Fashion», afirma o presidente da ANJE, João Rafael Koehler. «A par dos destinos europeus e das grandes capitais mundiais da moda, é importante que o setor tire partido do vasto poten-cial inerente ao espaço Lusófono, mais concretamente das oportunidades de negócio exis-tentes nos PALOP», acrescenta o mesmo responsável.

O grupo de criadores selecionados para esta participação é bastante eclético, não apenas no que concerne à componente criativa, mas também no que diz respeito ao perfil de negócios, tal como explica João Rafael Koehler: «A seleção do grupo de criadores que integra esta ação na Mozambique Fashion Week seguiu a norma fit to market. Para além da componente de imagem associada ao desfile, haverá um conjunto de iniciativas de cariz comercial. Por isso, a ANJE procurou um equilíbrio entre o perfil do mercado moçambicano e o perfil dos criadores portugueses. De resto, e porque o nosso propósito passa não apenas pela diversificação de destinos mas também pela abrangência de designers, optamos por lançar o convite a um cri-ador experiente em semanas de moda estrangeiras e com planos de expansão (Miguel Viei-ra), a uma criadora cujas criações têm inspiração africana (Roselyn Silva) e também a uma es-tilista que havia já dado entrada neste mercado (Micaela Oliveira)».

 

Tal como tem vindo a fazer em outras capitais, como Paris e Londres, a ANJE desenhou esta ação de modo a conciliar as apresentações em desfile com estratégias de acompanhamento mais abrangentes, envolvendo a estruturação profissional da atividade dos designers. Em Moçambique, as três coleções serão igualmente promovidas em demonstrações num showroom comercial, assim como junto de canais internacionais de vendas, por intermédio de redes de contacto especializadas. Desenhadas ao abrigo do projeto NEXT STEP, estas inici-ativas incluem encontros com agentes de compras, não só moçambicanos mas também de outros mercados africanos e não só, concentrados por estes dias na semana de moda de Maputo.

Artigo anterior

‘Financial Times’ destaca praia portuguesa

Próximo artigo

Pato assado com risoto de cogumelos e pontas de espargos verdes