Home»VIDA»ALTERNATIVAS»Portugal em 2018: o que ditam os astros

Portugal em 2018: o que ditam os astros

Saiba como a posição dos astros vai influenciar genericamente a vida do país e dos portugueses nos doze meses do próximo ano. Uma previsão de Isabel Guimarães, presidente da Associação Portuguesa de Astrologia.

Pinterest Google+
PUB

O ingresso do Sol em Peixes a 18 de fevereiro às 17:17 em Portugal sugere um mês onde os relacionamentos poderão se vividos de forma mais sensível e profunda tornando a comunicação mais aberta e os desejos alinhados com os pensamentos. Revela-se um mês favorável para a resolução de problemas pendentes.

 

O ascendente em Leão sugere uma maior expressão da identidade com especial atenção as contrariedades e a impulsividade. Os assuntos do coletivo encontram maior atenção podendo revelar-se uma maior vontade e determinação em encontrar soluções de ajuda e de maior iniciativa em grupos.

 

A sugestão de Júpiter no signo Escorpião em sextil a Plutão em Capricórnio, envolvendo as áreas de vida IV e V, abre novos horizontes e novas perspetivas. Poderão surgir novas situações na família com maior ligação aos que se encontram a viver no estrangeiro.

 

Saturno em quadratura à Lua indica uma tendência à repressão nas estruturas e na precipitação de novas iniciativas, muitas vezes ligada a memórias de agressão e de situações traumáticas do passado. As tendências referentes a este Ingresso poderão fazer-se notar até ao Ingresso do Sol em Carneiro a 20 de março às 16:15 em Portugal.

 

O ingresso do Sol em Carneiro a 20 de março às 16:15 em Portugal direciona a um maior aprofundamento na forma de se exprimir, aumentando a sensibilidade e a dificuldade na tomada de iniciativa. O aspeto do trígono do Sol a Júpiter beneficia o apoio dos outros e a capacidade de poder evoluir em situações de crise.

 

A força na ação de Marte, regente de Carneiro, em conjunção a Saturno no signo de Capricórnio na área de vida V, indica uma maior iniciativa estruturada, sugerindo novos projetos e ideias que conduzem a um maior foco no trabalho. Apesar das estruturas poderem sofrer alguns cortes levando a limites de gastos, denota-se resiliência na superação de situações difíceis.

 

Ao longo deste período, os investimentos podem estar mais dificultados pela dificuldade na clareza dos pensamentos. É importante superar a falta de confiança mental, procurando um modelo de clareza e de eficiência intelectual. A intuição e perceção podem ser comprometidas devido à informação excessiva que pode não trazer beneficio para a concretização de objetivos, ou seja, dificulta o foco.

 

O ascendente em Virgem, com o regente em conjunção exata a Vénus, sugere bons momentos para socializar, comunicar o que sente, levar compreensão aos outros e valorizar as pessoas que o rodeiam. Estas predisposições poderão ser sentidas até ao ingresso do Sol em Touro a 20 de abril às 4:12 em Portugal.

Artigo anterior

Vem aí o Natal. E agora?

Próximo artigo

Salvador Sobral lidera pesquisas no Google em 2017