Home»FOTOS»Portugal consome mais água do que devia pondo em risco adaptação do país às alterações climáticas

Portugal consome mais água do que devia pondo em risco adaptação do país às alterações climáticas

A organização não-governamental de conservação ANP/WWF lança um relatório que alerta para o facto de os portugueses consumirem mais água do que deviam, enquanto o país enfrenta anos de escassez de pluviosidade. Os ecossistemas aquáticos devem ser bem preservados para enfrentar os desafios de um futuro mais quente e seco, reforça o relatório.

Pinterest Google+
PUB

Atualmente, em Portugal, a situação de seca é mais grave no Sul – Alentejo e Algarve – com impactos significativos ao nível da perda de rendimentos nas colheitas de outono/inverno e pastagens, e dificuldades na alimentação de gado. Algumas das medidas já tomadas para mitigar os efeitos da seca também têm impactos económicos.

 

«Há muito que podemos fazer para estarmos melhor preparados para um futuro mais quente e seco. Os gestores e autoridades de recursos hídricos em Portugal devem implementar todos os recursos e medidas necessários para garantir a conformidade com os requisitos da Diretiva-Quadro da Água. Garantir a boa qualidade dos rios, zonas húmidas e aquíferos significa que um regime de fluxo ecológico adequado é totalmente implementado, como uma ferramenta para preservar o funcionamento saudável dos ecossistemas aquáticos, o que permite a prestação de todos os serviços dos quais beneficiamos e que são habitat de uma rica biodiversidade altamente ameaçada (por exemplo, peixes de água doce)», comenta Afonso do Ó, que reforça que «as autoridades hídricas devem deixar de financiar novos regadios em zonas de escassez, e globalmente sempre que não garantam sistemas de uso eficiente e frugal da água, bem como continuar a melhorar a monitorização da água, para permitir uma melhor prevenção dos impactos da seca com base na tomada de decisões informada.»

 

VEJA TAMBÉM: FORMAS DE AJUDAR (SEMPRE) O AMBIENTE

 

O relatório conclui que é fundamental que os Governos ajustem a procura de água aos recursos disponíveis nas bacias, tanto de rios, albufeiras e aquíferos, de acordo com a suposição de um determinado nível de risco de abastecimento de água / seca. Esta ação deve ser planeada para «estarmos preparados para a próxima seca. Só assim teremos ecossistemas aquáticos saudáveis e estaremos mais aptos a enfrentar um futuro mais quente e seco», conclui o comunicado divulgado.

 

A água é um bem muito precioso que deve ser preservado por todos, mas a sua deterioração está a verificar-se um pouco por todo o mundo, assim como a progressão da sua escassez. Cabe a todos poupar este bem comum. Veja algumas ideias que fazem bem ao ambiente e à sua carteira, na galeria no início do artigo.

 

 

Artigo anterior

Do expresso ao macchiato: experimente em casa os vários tipos de café

Próximo artigo

Cirurgia estética: cuidados a ter na melhoria da sua imagem