Home»ATUALIDADE»ESPECIALISTAS»Porque devemos proteger os oceanos?

Porque devemos proteger os oceanos?

Os oceanos constituem um habitat incrível para inúmeras espécies de animais, no entanto, estudos têm mostram que muitos deles acabam por morrer por envenenamento ou subnutrição.

Pinterest Google+

Os oceanos, mares e áreas costeiras têm um valor incalculável, destacando-se a sua imensa biodiversidade, produção primária, produção de alimentos, transporte marítimo, energia renovável e regulação climática.

 

É inegável o seu valor para o planeta e para o bem-estar humano. Os oceanos são detentores das criaturas selvagens mais incríveis do nosso planeta. Tartarugas, tubarões, baleias, golfinhos, são só alguns exemplos dessa diversidade.

 

VEJA TAMBÉM: PORTUGUESES OCUPAM 2º LUGAR NO RANKING EUROPEU DAS PREOCUPAÇÕES COM O OCEANO

 

Ao Homem, os oceanos fornecem, todos os dias, bens abundantes e fundamentais para a sua sobrevivência e segurança alimentar. É incrível, mas os oceanos e mares fornecem-nos quase metade do oxigénio (O2) que consumimos, e absorvem mais de um quarto do dióxido de carbono (CO2) que produzimos! Era impossível existirmos sem vida marinha!

 

Contudo, e lamentavelmente, a cada dia que passa, o bom funcionamento e dinâmica destes ecossistemas tem vindo a ser ameaçado de forma severa. Pesca industrial, poluição, alterações climáticas agressivas ou mesmo mineração dos solos, são algumas das causas para a quebra da vida selvagem em meio marinho.

 

Um pouco por todo o mundo existe pesca intensiva de espécies. Todos os anos, o número de mamíferos encurralados em artes de pesca aumenta, ao mesmo tempo que dão à costa dezenas de animais mortos por asfixia, devido ao consumo de plástico.

 

VEJA TAMBÉM: SAIBA O QUE OS OCEANOS REPRESENTAM PARA A VIDA NA TERRA

 

A vida marinha merece ser protegida. E, uma vez que dependemos dela, nada mais humano do que a protegermos com toda a nossa força.

 

Felizmente, os países-membros da ONU deram início a negociações no sentido de criar um tratado internacional para a proteção da biodiversidade em alto-mar. As previsões apontam para que o processo esteja concluído e implementado até 2030.

 

Proteger os oceanos deve ser sempre uma prioridade.

Artigo anterior

Vai viajar pela Europa? Reveja estas dicas úteis

Próximo artigo

Sente-se inchada? Estes alimentos funcionam como laxantes naturais