Home»ATUALIDADE»NOTÍCIAS»Piquenique é elevado a experiência de antigamente nos parques e monumentos de Sintra

Piquenique é elevado a experiência de antigamente nos parques e monumentos de Sintra

A Parques de Sintra propõe novas experiências ao ar livre, que recuperam as antigas vivências dos jardins históricos da região. De junho a setembro, um sábado por mês será ‘Dia do Piquenique’ nos Parques da Pena e de Monserrate e nos Jardins de Queluz. O conteúdo do cesto de piquenique obedece ao tema rústico regional.

Pinterest Google+

A Parques de Sintra anuncia uma nova proposta de experiência para este verão, que proporciona a possibilidade de usufruir dos ambientes ao ar livre dos jardins históricos sob sua gestão, através de um serviço de piquenique com reserva exclusiva do espaço, em dias especiais. De junho a setembro, nos dias 27 junho, 25 julho, 29 agosto, 26 setembro, um sábado por mês será ‘Dia do Piquenique’. Para estes dias, poderá reservar antecipadamente o seu piquenique, servido num cesto, com toalha, mantas e utensílios, e beneficiar de uma experiência única nos Parques da Pena e de Monserrate e nos Jardins de Queluz.

 

Este serviço está disponível para duas pessoas e para famílias. Para garantir a qualidade da experiência, o distanciamento dos grupos e acautelar as indispensáveis condições de segurança, a capacidade de cada local é limitada, sendo necessário fazer reserva até às 12h00 da quarta-feira anterior. O conteúdo do cesto de piquenique obedece ao tema rústico regional e inclui sumo de fruta natural, o tradicional pão com chouriço da região saloia, quiche, sandes de lombo, salgados, salada, e fruta já preparada, não podendo faltar as indispensáveis queijadas de Sintra. A estes e outros alimentos e bebidas já incluídos no cesto base, podem ser acrescentados quaisquer outros artigos disponíveis nas cafetarias da Parques de Sintra.

 

VEJA TAMBÉM: DA MARMITA AO CHURRASCO: COMO FAZER UM PIQUENIQUE EM SEGURANÇA

 

O piquenique poderá, igualmente, ser associado à reserva de outras atividades ou experiências, como por exemplo, passeios em charrete ou de pónei no Parque da Pena ou programas de aniversário e atividades temáticas no Parque de Monserrate.

 

Esta nova proposta da Parques de Sintra insere-se na missão da empresa de recuperar as antigas vivências do património que gere, oferecendo-as ao público de hoje. No século XIX, os piqueniques representavam uma forma incontornável de viver os jardins, em comunhão com a natureza. Era uma experiência usualmente partilhada em família e com os círculos mais íntimos de amizade, como o demonstram fotografias e relatos da época, como alguns objetos que sobreviveram até aos dias de hoje.

 

VEJA TAMBÉM: COMO PREPARAR UM PIQUENIQUE: O QUE NÃO PODE ESQUECER

 

No Chalet da Condessa d’Edla, no Parque da Pena, encontra-se exposto o cesto de piquenique que a segunda mulher de D. Fernando II usava para fazer as suas refeições neste jardim, e numerosas fontes documentais descrevem os piqueniques que a família Cook fazia na relva, de acordo com a tradição inglesa, nas temporadas estivais que passava na sua propriedade de Monserrate.

 

Já no Palácio Nacional Queluz, concebido como palácio de verão para a corte portuguesa setecentista, os exteriores eram intensamente vividos através de sofisticados festejos que incluíam, naturalmente, refeições ao ar livre. A proposta da Parques de Sintra é a de recuperar essas experiências e de possibilitar ao público que hoje visita estes espaços a criação de novas memórias, contemporâneas, mas com a essência da experiência original sempre presente.

 

 

 

Artigo anterior

Previsões astrológicas para o mês de julho de 2020

Próximo artigo

Festival Mental discute saúde mental dos portugueses em várias plataformas