Home»ATUALIDADE»ESPECIALISTAS»Pílula ininterrupta: sim ou não?

Pílula ininterrupta: sim ou não?

Em relação aos riscos da toma ininterrupta da pílula, vários estudos parecem demonstrar que estes não são muito diferentes dos observados com a utilização da pílula em regime cíclico.

Pinterest Google+

Por outro lado, convém recordarmos as vantagens e benefícios do uso da CHC: regularização dos ciclos menstruais, redução das dores/cólicas menstruais, redução da síndrome pré-menstrual (SPM), redução do fluxo menstrual e prevenção da anemia, diminuição dos quistos funcionais do ovário, diminuição do risco de cancro do ovário e do endométrio (útero), diminuição do risco de cancro do cólon e recto, prevenção da doença inflamatória pélvica e gravidez ectópica, prevenção da endometriose, redução das menorragias e outros sintomas de fibromioma uterino, aumento da densidade mineral óssea e melhoria dos sintomas vasomotores na perimenopausa, tratamento do hiperandrogenismo (acne e hirsutismo).

 

Vários estudos comprovam que o uso ininterrupto da pílula reduz as dores mais rapidamente que a utilização em regime cíclico e é particularmente indicado em casos de doenças do aparelho ginecológico, como miomas ou endometriose, em pacientes com anemia severa, e em casos de mulheres que sofrem de tensão pré menstrual grave. Para as mulheres com estes problemas, a supressão da menstruação não é uma simples questão de conveniência, é também uma questão de saúde física e mental.

 

VEJA TAMBÉM: ENXAQUECA É A CEFALEIA PRIMÁRIA MAIS CONHECIDA E INCAPACITANTE

 

A interrupção da menstruação é ainda uma medida sensata em mulheres com paralisia cerebral ou com problemas musculares/neurológicos que a impeçam de praticar a adequada higiene pessoal na época do período menstrual.

 

Para muitas mulheres, a menstruação é um acontecimento inoportuno, principalmente em épocas de férias, viagens, competições, exames académicos, e eventos especiais. Também os gastos financeiros com absorventes, analgésicos, ferro para a anemia, assim como o número de faltas ao trabalho e às aulas, são também muito menores nas mulheres que não menstruam.

 

VEJA TAMBÉM: CELULITE: O PAPEL DOS ESTROGÉNIOS

 

É importante também salientar que a supressão da menstruação não interfere na fertilidade da mulher. Mesmo estando há anos sem menstruar, a simples suspensão da medicação faz com que a mulher volte a ovular normalmente.

 

Atualmente, não temos dúvidas das vantagens e benefícios da supressão da menstruação, só ainda não sabemos se a forma mais adequada de o fazer é através do uso contínuo deste tipo de medicamentos.

Artigo anterior

As melhores city breaks para o tempo frio

Próximo artigo

As consequências de perder peso demasiado depressa