Home»BEM-ESTAR»SAÚDE»Pessoas ruivas mais suscetíveis a ter cancro de pele

Pessoas ruivas mais suscetíveis a ter cancro de pele

Muitas pessoas que não têm cabelos ruivos transportam estas variantes comuns e este estudo vem demonstrar que todos devem ter cuidado com a exposição solar. No verão, os cuidados devem ser redobrados.

Pinterest Google+

As variantes genéticas associadas ao cabelo ruivo, pele pálida e sardas estão ligadas a um maior número de mutações genéticas em cancros de pele, de acordo com uma investigação feita pelo ‘The Wellcome Trust Sanger Institute’.

 

A pesquisa, publicada na ‘Nature Comunications’, mostrou que uma única cópia de um gene variante MC1R associada ao cabelo vermelho aumentou o número de mutações no cancro de pele – melanoma, a forma mais grave de cancro de pele.

 

Veja também: Sinais de pele e como os avaliar

 

As pessoas ruivas representam entre 1% a 2% da população mundial. Ser ruivo significa ter duas cópias de uma variante do gene C1R que afeta todo o tipo de pigmento melanina que produzem e torna os cabelos ruivos, a pele pálida. Acrescenta ainda uma forte tendência para queimar ao sol.

 

Os investigadores analisaram o conjunto de dados disponíveis de sequências de ADN de tumor recolhidos a partir de mais de 400 pessoas. Descobriram uma média de 42% mais de mutações  em tumores de pessoas que transportam o gene variante.

 

A exposição à luz ultravioleta a partir de qualquer luz solar causa danos ao ADN e pensa-se que o tipo de pigmento da pele associado ao facto de se ser ruivo possa estar associado a uma maior permeabilidade dos raios UV.

 

Veja também: Uma pele linda sem gastar um cêntimo

 

Enquanto pode ser um mecanismo de danos, o estudo também revelou que a variação do gene MC1R não só aumentou o número de mutações espontâneas causadas ​​pela luz ultravioleta, mas também aumentou o nível de outras mutações nos tumores. Isto sugere que existem processos biológicos no desenvolvimento de cancro em pessoas com variação MC1R que não estão unicamente relacionadas com a luz ultravioleta.

 

Julie Sharp, chefe de saúde no ‘Cancer Research UK’, aconselha a que todos, não só os ruivos, se protejam do sol. «Para todos nós, a melhor maneira de proteger a pele quando o sol está forte é estar à sombra entre as 11:00 e as 15:00 horas e cobrir-se com uma t-shirt, chapéu e óculos de sol». Sharp alerta, ainda, para o uso imperativo de protetor solar acima de FPS 15 que deve ser «colocado em abundância e reaplicado regularmente».

 

 

Artigo anterior

Saiba escolher chinelos corretamente

Próximo artigo

Coisas estranhas que fazemos enquanto dormimos