Home»AMOR»RELAÇÕES»Pesquisa revela que tecnologia aproxima mais do que afasta casais

Pesquisa revela que tecnologia aproxima mais do que afasta casais

Apesar de ser um ponto de distração quando estão juntos, a tecnologia permite trocas de mensagens ao longo do dia que mantêm os casais mais próximos. E o "sexting" está a ajudar.

Pinterest Google+

A tecnologia aproxima mais do que afasta os casais, revelou uma consulta publicada nesta terça-feira nos Estados Unidos. Segundo a pesquisa sobre hábitos de utilização na internet, realizada pelo centro de pesquisas Pew, 21% dos adultos casados ou em relacionamentos sérios disseram sentir-se mais próximos do cônjuge ou companheiro graças às mensagens trocadas online ou por SMS.

Um em cada quatro casais consultados disse enviar mensagens de texto mesmo estando juntos em casa e 9% disseram ter resolvido uma discussão online ou por SMS depois de ter tido dificuldades em solucionar o assunto pessoalmente.

Mas a pesquisa também demonstrou que a tecnologia é uma fonte de tensão para alguns casais. Vinte e cinco por cento dos donos de telemóveis casados ou em relacionamentos sérios disseram que o seu cônjuge ou companheiro distraía-se com o aparelho quando os dois estavam juntos. E 8% disseram ter discutido com o cônjuge ou companheiro sobre o tempo passado online.

As tendências parecem mais fortes entre os adultos mais jovens consultados, de acordo com o instituto Pew. Segundo a pesquisa, 42% das pessoas de 18 a 29 anos com telemóveis em relacionamentos sérios disseram que o seu companheiro se distraía com o aparelho, mas 41% nesta faixa etária afirmaram sentir-se mais próximos do companheiro graças a conversas online ou mensagens de texto.

“A tecnologia está em toda a parte e as nossas relações não são exceção”, disse Amanda Lenhart, pesquisadora do Pew e principal autora do relatório. “E para os adultos mais jovens e que estão em novos relacionamentos, ferramentas como os telemóveis e as redes sociais estão disponíveis desde o início. Elas desempenham um papel mais importante hoje em dia, para o bem e para o mal”, destacou.

A consulta também revelou que duas em cada três pessoas casadas ou em relacionamentos estáveis compartilhavam uma senha para uma ou várias contas online com o cônjuge ou companheiro. Os pesquisadores descobriram que as pessoas casadas ou em relacionamentos durante 10 anos ou menos têm diferentes hábitos digitais. Os que já estavam juntos quando surgiu uma nova plataforma ou tecnologia eram mais propensos a testá-la em conjunto, enquanto que os que começavam uma relação com as suas próprias contas tendiam a continuar a usa-las de forma independente.

Nove por cento dos donos de telemóveis adultos consultados disseram ter enviado um “sext”, ou imagem sexualmente sugestiva, de si próprios para outra pessoa (em 2012 foram 6%). E um em cada cinco donos de telemóveis disse ter recebido um “sext” de um conhecido (foram 15% em 2012).

O comunicado baseia-se numa consulta com 2.252 adultos americanos, feita entre 17 de abril e 19 de maio de 2013.

AFP

Artigo anterior

O autocarro das brincadeiras

Próximo artigo

Verão brasileiro