Home»ATUALIDADE»ESPECIALISTAS»Perdão não é submissão

Perdão não é submissão

Pinterest Google+

Imaginemos um adulto que cresceu numa família onde o divórcio é inexistente e sempre lhe disseram que não se devia fazer os outros sofrer. O receio de desiludir a família aliado ao medo de que o parceiro também sofra com a mudança sobrepõem-se ao amor próprio, culminando com a incapacidade de a pessoa se defender na relação conjugal.

 

A forma como as relações se desenrolam evolui consoante a natureza da relação e com a idade. Quando somos crianças, estamos numa posição de dependência da família, que é quem nos gere toda a vida. Durante o crescimento, ganha-se autonomia e passa-se a gerir a própria vida. No entanto, nas relações amorosas pode dar-se o caso de a pessoa viver a relação com o modelo de relação que tinha em criança, como se o parceiro fosse insubstituível e não se tivesse autonomia para refazer a vida sem ele.

 

O que recebe numa relação implica expressar os seus desejos, só assim será equilibrada. Se sente que não tem espaço para ser ouvida, talvez não seja uma relação saudável para si.

 

Não tenha medo de mudar, nem duvide da sua capacidade para o fazer! Se a aconselham a ser “paciente” porque sofrer é normal, lembre-se: a maioria dos conselhos são dados com base nos medos de quem os dá e não com consideração das necessidades de quem precisa deles!

Artigo anterior

Tenha a coragem de fazer o que quer

Próximo artigo

Brad Pitt compra casa em Maiorca