Home»LAZER»DICAS & VIAGENS»Perca-se nestes labirintos do mundo

Perca-se nestes labirintos do mundo

Já alguma vez se imaginou rodeado literalmente por um labirinto? Estes núcleos geométricos podem ser um verdadeiro desafio e despertar momentos de grande aflição, mas também de muita diversão. Conheça alguns dos labirintos mais incríveis do mundo.

Pinterest Google+
PUB

Villa Pisani Garden, Itália – Neste jardim, já se perderam várias pessoas, incluindo um antigo dono da propriedade. O ‘labirinto d’amore’ foi criado em 1720-1721. No centro, ergue-se uma torre com uma estátua de Minerva, o símbolo da sabedoria.

 

The Hampton Court Maze, Inglaterra – Plantado entre 1689 e 1695, este labirinto já sofreu algumas alterações desde então. O historiador inglês Ernest Law considerou o labirinto como um dos mais famosos do mundo e, na verdade, é o labirinto mais antigo que sobreviveu até aos dias de hoje.

 

Longleat Hedge Maze, Inglaterra – Contruído em 1975, este é o mais comprido, mas não o mais largo, labirinto do mundo com os seus imponentes 2, 7 km que cobrem cerca de 0,6 hectares.

 

Ashcombe Maze, Austrália – Este é o labirinto mais antigo e mais famoso da Austrália. Foi contruído há mais de 40 anos e precisou de mais de mil ciprestes para estar completo.

 

Labirinto della Masone, Itália – Estende-se por mais de 80 mil metros quadrados e é considerado o maior labirinto do mundo após a sua abertura ao público em 2015. Franco Maria Ricci é o dono e quem concretizou a ideia, durante cerca de 10 anos, deste jardim.

 

Pineapple Garden Maze, EUA – Espalhado por 1,2 hectares, este labirinto é feito com plantas tropicais e marca a diferença pelo enorme ananás que tem desenhado no meio.

 

Richardson Corn Maze, EUA – Este é efetivamente o maior labirinto do mundo. Na verdade, Richardson Corn Maze cobre 11 hectares com plantação de milho. Atualmente, o labirinto apresenta um desenho em honra do filme ‘Star Trek’.

 

Veja imagens na galeria acima.

 

 

Artigo anterior

Comer de forma intuitiva. A nova dieta?

Próximo artigo

Pés delicados: como prevenir as calosidades