Home»GLAMOUR»BELEZA»Pele negra: renovação da pele a partir de dentro

Pele negra: renovação da pele a partir de dentro

Pinterest Google+

A pele negra é mais resistente à passagem do tempo, menos propensa a rugas, estrias e flacidez, porque, na sua formação há mais produção de melatonina (MLT) e é mais resistente ao sol. Mas, apesar disso, precisa de ser protegida dos efeitos nocivos que este causa, sobretudo o cancro de pele.

 

Apesar dessa resistência, as células de pigmento trabalham mais rápido, o que pode levar a uma resposta mais rápida no processo de invasões inflamatórias, por isso é mais suscetível de acumular manchas (melasma) e cicatrizes salientes (queloides). A melanina (ML) torna-a mais oleosa que os outros tipos de pele, o que promove um risco maior no surgimento de acne, pontos negros e por vezes foliculite, quer no rosto, quer no corpo.

 

A foliculite é uma inflamação que dá origem a pequenos pontinhos “bolinhas” no corpo ou no rosto. Isto acontece porque os pelos crescem mais juntos e encravam, causando este este tipo de inflamação. Para prevenir o melasma, muito comum no rosto, deve-se cuidar diariamente da aparência com pequenos cuidados básicos de higiene e limpeza como, por exemplo, lavar o rosto duas vezes ao dia com um sabão de ph neutro.

 

Entre eles está uma boa manutenção de hidratação do corpo, através do consumo regular de água, de proteção solar e acima de tudo uma alimentação rica em minerais, fibras e vitaminas. Este tipo de pele pode fazer uso de quase todo o tipo de tratamentos de estética, com os cuidados necessários.

Artigo anterior

Leonardo DiCaprio eleito uma das personalidades mais influentes do mundo

Próximo artigo

Voxpop: mensagens para as mães