Home»ATUALIDADE»NOTÍCIAS»Partilham, reparam e reutilizam: jovens adultos apostam no consumo colaborativo

Partilham, reparam e reutilizam: jovens adultos apostam no consumo colaborativo

Compram e vendem mais bens em segunda mão do que as gerações anteriores. Reparam, partilham e alugam bens com mais frequência. Os dados apresentados no Observador Cetelem Consumo Millennials 2018 demonstram que os jovens adultos estão cada vez mais envolvidos no consumo colaborativo.

Pinterest Google+

A economia da partilha é mais expressiva entre os Millennials portugueses do que entre os cidadãos nacionais de outras faixas etárias, com 84% dos jovens adultos a afirmarem que têm uma imagem positiva desta filosofia versus 72% em média.

 

Em termos europeus, noruegueses, franceses e espanhóis ocupam, por ordem, os primeiros três lugares no pódio, com respetivamente, 91%, 88% e 86%, estando os Millennials portugueses na quinta posição entre os inquiridos de 17 países europeus.

 

VEJA TAMBÉM: O QUE DETERMINA A ESCOLHA DE UM DESTINO DE VIAGENS PARA OS MILLENNIALS? QUE DÊ BOAS FOTOS PARA O INSTAGRAM

 

Reparar bens é a prática mais difundida entre os inquiridos de origem portuguesa, sendo que 61% afirmam já terem recorrido a esta prática. Os que mais reparam bens são os húngaros (78%), os polacos (69%) e os austríacos (64%). A compra de bens, livros e roupa em segunda mão ocupa o segundo lugar das preferências nacionais, com cerca de metade (49%) dos inquiridos desta geração a afirmarem fazê-lo.

 

Por outro lado, a partilha de bens ou serviços surge na terceira posição, uma vez que apenas um terço afirma recorrer a este tipo de serviços. Segue-se o arrendamento de imóveis a outros consumidores, com 33% a alugarem imóveis em plataformas como Airbnb.

 

As compras em grupo são outra das práticas valorizadas por 25% dos jovens adultos portugueses, que procuram ideias inovadores e originais que os ajudem a economizar e a consumir de forma mais sustentável. 23% afirmam também recorrer a sites de compras coletivas para obterem melhores negócios. Menos popular é a prática de alugar em vez de comprar (13%), ou aproveitar boleias com desconhecidos através de serviços online.

 

VEJA TAMBÉM: APAIXONE-SE PELO SEU TRABALHO: DICAS PARA OS MILLENNIALS

 

«A economia da partilha está em permanente ascensão. Se inicialmente era usada para enfrentar a crise, hoje em dia a consciencialização ambiental e a vontade de poupar são pretexto para a adoção de práticas de consumo partilhado.  Esta é uma forma de dar uma nova vida aquilo que provavelmente iria acabar no lixo, ao mesmo tempo que se torna um grande aliado nos hábitos de poupança», aponta Pedro Camarinha, diretor de Distribuição do Cetelem.

 

O Observador Cetelem Millennials 2018 tem por base um estudo quantitativo efetuado em 17 países europeus. O inquérito quantitativo ao consumidor foi realizado pela Kantar TNS entre 2 de outubro de 2017 e 2 de novembro de 2017 sobre uma amostra de 13 800 indivíduos, com idade entre 18 a 75 anos e uma amostra adicional de 3 400 indivíduos entre 18 e 34 anos (Millennials). Em Portugal foram inquiridos 1000 indivíduos. Destes, cerca de 500 têm entre 18 e 34 anos. Países participantes no estudo: França, Alemanha, Áustria, Bélgica, Bulgária, Dinamarca, Espanha, Hungria, Itália, Noruega, Polónia, Portugal, República Checa, Roménia, Reino Unido, Eslováquia, Suécia.

 

 

Artigo anterior

Escapadinha: os centros comerciais mais apelativos da Europa

Próximo artigo

Voz: 38% do seu impacto inicial