Home»LAZER»DICAS & VIAGENS»Palmela, uma vila histórica com vista interminável

Palmela, uma vila histórica com vista interminável

A chamada Balmala, pelos muçulmanos, desde sempre foi disputada pela sua posição singular e estratégica. Localizada numa posição elevada entre a serra e o mar, do seu alto avista-se Lisboa e o seu rio Tejo, Setúbal e o seu estuário do Sado, e a península de Tróia e o seu oceano Atlântico. Pode, literalmente, rodopiar sobre os seus pés e ver toda esta paisagem em menos de um minuto. Não é, pois, de admirar que é habitada e valorizada desde os tempos pré-históricos. Vamos fazer uma viagem pelo tempo?

Pinterest Google+

Mas já que falamos de igrejas, pelas ameias do castelo, consegue avistar lá fora na vila a Igreja de S. Pedro. De origem medieval, o atual edifício da igreja matriz da vila data da segunda metade do século XVI. Por lá tome atenção ao revestimento em azulejos da época barroca, que retrata a vida do apostolo S. Pedro.

 

Recolhendo a cabeça, dentro do castelo, pode ainda encontrar um posto de turismo onde pode conhecer tudo o que há a ver na região e um restaurante, onde pode descansar e provar os produtos da região. Já agora, se por aqui quiser pernoitar, o antigo convento é agora a Pousada de Palmela.

 

Bom, já nos demorámos muito no castelo, mas de facto é ali que se concentra toda a informação histórica. Descemos então a zona muralhada em direção ao centro. Pode calcorrear a zona velha com as suas ruelas sinuosas. Visita obrigatória é ao Largo S. João Batista. Um coreto de 1924 impõe-se bem no meio. É aqui que se encontra também a biblioteca municipal, o cineteatro S. João e a Casa Mãe da Rota dos Vinhos de Setúbal.  Nesta pode saber mais e comprar produtos da região, efetuar provas de vinhos, marcar visitas às adegas e cruzeiros enoturisticos, que se fazem no rio Sado.

 

VEJA TAMBÉM: DOÇARIA CONVENTUAL E PALACIANA À PROVA EM ALCÁÇOVAS

 

Não pode deixar de beber aqui um moscatel adoçado com bolacha da feira, fogaça de Palmela ou com uma torta de Azeitão. Ou pode aventurar-se num gelado diferente. Aqui pode provar os sabores da região de uma forma diferente. Apetece-lhe um gelado de moscatel, de queijo de Azeitão ou de fogaça de Palmela? Nós ficámo-nos pelo tradicional.

 

Novamente reconfortados, daqui partimos para os moinhos de vento que pontuam a paisagem da serra do Louro em Palmela. São poucos minutos de carro. Ao todo, Palmela tem dez moinhos que marcam a história do cereal, do pão e da região ao longo dos séculos. A maioria está hoje convertida em alojamento de turismo local, mas há um que pode visitar e ver como se moía a farinha com as grandes mós movidas a vento.

 

Não é por acaso que nesta língua alta da serra se localizam os vários moinhos, onde os ventos se cruzam. Aqui pode também fazer workshops de pão e deixar as crianças darem uma voltinha de burro pela serra. No final, um pão com chouriço acabadinho de sair da padaria que aqui ainda labora vai saber mesmo bem.

 

VEJA TAMBÉM: A MAGIA DO ÓBIDOS VILA NATAL ESTÁ DE VOLTA

 

Sendo o vinho um dos maiores ativos da região, nada melhor que uma visita a muitas das adegas que por aqui produzem vinhos, sejam eles tintos, brancos ou o famoso moscatel de Setúbal. Há vários tipos de experiências que pode fazer ao longo do ano, seja participar numas vindimas, ouvir música a ecoar de uma forma especial numa adega, seja a degustar os vinhos em harmonia com os produtos da região.

 

Palmela é história. Mas é também atualmente muito conhecia pelos eventos que aqui chamam gentes de todo o país. A maior festa do calendário regional é a Festa das Vindimas, que se realiza anualmente no início de setembro, para celebrar a tradição vitivinícola do concelho. São seis dias de celebração dos vinhos, dos produtores e da cultura da região. Pouco depois, a Feira Medieval de Palmela convida todos a reviverem épocas passadas, dando-se destaque a essas antigas lutas entre cristãos e mouros. Entre o Castelo e o centro histórico da vila, bailes populares, jogos tradicionais, demonstração de armas e torneios, artes de rua, um mercado medieval e muita gastronomia fazem cada um fazer uma viagem ao antigamente. Por fim, a feira Queijo, Pão e Vinho, realizada em abril, costuma chamar muitos apreciadores à região. Claro que as estrelas são o queijo de Azeitão e os vinhos da terra, que aqui se provam e harmonizam na perfeição. Sem dúvida, um concelho com muito para dar a quem o visita.

 

Veja algumas imagens na galeria no início do artigo.

Artigo anterior

Tempo das crianças passado em frente a um ecrã triplicou em três anos

Próximo artigo

Abóbora e Ayurveda: receitas aromáticas para dias frios