Home»BEM-ESTAR»CORPO»Pais preferem produtos naturais e biológicos

Pais preferem produtos naturais e biológicos

Apesar de a popularidade e adesão aos produtos naturais e biológicos ter aumentado, muitas pessoas não os compram por serem mais caros do que os produtos convencionais, revela um novo estudo da Mintel. 

Pinterest Google+

O uso de produtos de cuidados pessoais naturais e biológicos é cada vez maior: 37% dos consumidores compraram mais produtos do género, em 2016, do que nos anos anteriores. Um aumento muito expressivo aconteceu junto dos pais com filhos menores de 18 anos, que aumentaram este consumo em 34%, segundo dados revelados pela consultora Mintel.

 

Além disso, quem tem filhos compra mais produtos de higiene pessoal inseridos nesta categoria do que quem não tem filhos. Numa batalha ‘pais versus não-pais’, 53% dos pais compram cremes de mãos e corporais naturais e biológicos, assim como acontece nos cuidados de cabelo (50% versus 34%) e produtos de limpeza corporal idem aspas, com 48% vs 34%.

 

Veja também: Guia bio: saiba onde comprar produtos biológicos

 

«Os pais procuram mais informação quando se trata de cuidar dos seus filhos e, portanto, estão mais conscientes dos ingredientes a serem evitados nos produtos de cuidados pessoais dos seus filhos, assim como nos seus. Isso representa uma oportunidade para que marcas naturais e biológicas de cuidados pessoais direcionem para os pais as campanhas publicitárias, pois devem incentivá-los a comprar produtos específicos para adultos e crianças», afirma Jana Vyleta, analista de Saúde e Cuidados Pessoais da Mintel.

 

Segundo a análise presente, as tendências em relação à saúde e ao bem-estar têm cada vez mais adeptos e não se limita apenas ao exercício e à dieta. Prova disso é que quase sete em cada dez (67%) dos consumires destes produtos nos EUA afirmaram estar a viver um estilo de vida mais saudável, comparado com o grupo oposto (54%).

 

A razão mais comum para a compra de produtos naturais e biológicos prende-se com a maior segurança em relação aos produtos convencionais (49%) e com a qualidade (42%). Mais de dois em cada cinco consumidores (42%) concordam que estes produtos são melhores para o meio ambiente, enquanto quase um terço (32 %) diz que esses produtos lhes confere tranquilidade geral.

 

Veja também: Educar para o consumo biológico

 

«A maioria dos consumidores, independentemente do seu uso de produtos de cuidados pessoais naturais e biológicos, estão a tentar viver estilos de vida mais saudáveis no meio de uma sociedade que luta com desafios como a obesidade e o stress. A Mintel 2017 Global Beauty Trend, ‘Active Beauty’, destaca este movimento em direção à saúde e bem-estar geral, discutindo o modo como as marcas de beleza estão a formular os produtos para ajudar os consumidores na busca de saúde e fitness», continua Vyleta. «Para os profissionais de marketing, a oportunidade/desafio está em convencer os não-utilizadores, ao provarem que os produtos de cuidados pessoais naturais e biológicos têm benefícios tangíveis para a saúde».

 

Tirando as óbvias certificações, a maneira mais comum dos consumidores saberem que um produto é natural ou biológicos é verificar se os ingredientes são simples e familiares. Os consumidores também parecem dar prioridade a produtos com alegações escritas nas embalagens como, por exemplo, ‘feito com ingredientes naturais’ (88%), ‘sem ingredientes artificiais’ (86%) e ‘contém ingredientes biológicos’ (81%). Na Europa, o selo da ‘Eurofolha’ indica que se trata de um produto biológico.

 

No entanto, apesar das popularidades dos produtos de cuidados pessoais naturais e biológicos ter aumentado, 79% dos inquiridos não compram estes produtos por serem mais caros.

 

 

Artigo anterior

Ter a sorte ou fazer a sorte?

Próximo artigo

Vamos plantar?