Home»LAZER»DICAS & VIAGENS»Os tesouros escondidos nas águas de Malta

Os tesouros escondidos nas águas de Malta

Navios e aviões afundados, recifes de coral e cavernas impressionantes são alguns exemplos de tesouros e histórias que se podem descobrir mergulhando nas águas das ilhas maltesas: Malta, Gozo e Comino.

Pinterest Google+
PUB

O mergulho é uma das atividades mais populares nas ilhas Maltesas, o arquipélago apresenta uma abundante oferta para mergulhadores que procuram experiências inesquecíveis durante todo o ano. Muitos entusiastas de mergulho escolhem este destino para explorar o mundo subaquático que envolve as ilhas, descobrindo joias submarinas e riquezas históricas sem igual.

 

Um dos destroços mais notáveis nas águas de Malta é o HMS Maori, localizado na baía de St. Elmo sob Valletta. Navio que foi afundado durante um bombardeamento, em 1942, e encontra-se atualmente a 14 metros de profundidade.

 

Outra das curiosidades mais populares são os restos do Bristol Beaufighter, um avião bombardeiro britânico afundado em 1943. O navio permanece a uma profundidade de 42 metros a sudeste de Malta, local muito visitado por mergulhadores profissionais.

 

O Le Polynesien é também considerado uma paragem obrigatória, um transatlântico francês do século XIX afundado por um torpedo durante a Primeira Guerra Mundial e um dos maiores e mais impressionantes naufrágios de Malta. No entanto, só é acessível a mergulhadores experientes e técnicos, devido ao seu grau de dificuldade. Desde 1 de Maio de 2019, o transatlântico está sob a proteção do Heritage Malta, e é necessária uma licença especial para mergulhar nos destroços.

 

Mais recentemente, em 2007, o barco de patrulha alemã P-29 afundou-se nas águas maltesas e encontra-se a 34 metros de profundidade, em Cirkewwa Point. Cirkewwa é provavelmente o ponto de mergulho mais importante de todo o arquipélago.

 

Os recifes de coral são outra atração que torna o país num dos destinos mais populares para o mergulho. Uma fusão de cor e natureza que, combinada com o azul das profundezas do mar, oferece abrigo a um grande número de espécies.

 

Um ponto obrigatório para qualquer amante do mergulho é o icónico Buraco Azul de Gozo. Trata-se de uma formação rochosa natural que se assemelha a um tubo vertical, que tem sido esculpido ao longo de milhares de anos peça ação do vento e pela erosão provocada pelas ondas. À primeira vista esta maravilha natural pode parecer estar esculpida nas rochas circundantes. No entanto, um arco subaquático localizado 10 metro abaixo da superfície liga-o ao mar aberto, o que o torna uma formação geológica única. Para alcançar o Buraco Azul, é necessário caminhar sobre rochas calcárias de coral antigas com superfícies rugosas e arestas vivas. A partir da costa, uma plataforma de água rasa leva a uma queda repentina, que é o próprio Buraco Azul.

 

 

O Jardim dos Corais, localizado em frente ao Sliema Promenade, oferece túneis e cavernas espetaculares para serem explorados por mergulhadores de todos os níveis. É um local ideal para os entusiastas da fotografia subaquática graças à sua variada vida marinha e formações rochosas.

 

Finalmente as grutas de Santa Maria em Comino são extremamente populares, pois oferecem inúmeras possibilidades para mergulhar entre cavernas. Uma paragem recomendada para quem viaja de barco para a ilha, uma vez que é lar de uma grande variedade de peixes que podem ser vistos com muita facilidade através das águas cristalinas.

 

 

Com 7.000 anos de história e um dos melhores climas da Europa, a duas horas de distância, um destino de filme espera por si! As Ilhas Maltesas – Malta, Gozo e Comino – oferecem inúmeras atrações. Desde sítios arqueológicos, declarados Património Mundial pela UNESCO…são inúmeros os recantos escolhidos como cenários de filmes como Tróia, Gladiador, Munique, O Conde de Monte Cristo e Vicky – O Vicking. Mais informações em www.visitmalta.com

 

Artigo anterior

As próteses de silicone são vitalícias?

Próximo artigo

São Martinho: mitos e lendas da época da jeropiga e da castanha assada