Home»BEM-ESTAR»NUTRIÇÃO»Os super alimentos que tem de provar (e como o fazer)

Os super alimentos que tem de provar (e como o fazer)

Decerto que já ouviu falar em alguns e nas suas propriedades com altos benefícios para a saúde e bem-estar. Para não se perder nesta tendência, a nutricionista Lilian Barros explica as propriedades dos super alimentos que estão a fazer mais sucesso e ainda como os deve utilizar na sua alimentação.

Pinterest Google+
PUB

Camu camu

O camu camu é uma fruta amazónica que tem sido com frequência considerada como um verdadeiro “boost imunitário”, pois contém, aproximadamente, 40 a 50 vezes mais vitamina C do que uma laranja, constituindo a maior fonte natural desta vitamina (100 g de polpa de camu camu contém 2-3 g de vitamina C), que confere uma resposta imunitária mais eficaz e reforçada contra inflamações e infeções. Esta não é a única razão para apreciar este fruto tropical, pois apresenta também uma riqueza inconfundível de minerais, aminoácidos e antioxidantes poderosos.

 

Tradicionalmente, o camu camu tem sido utilizado para fortalecer o sistema imunitário, melhorar a visão e a pele, prevenir infeções virais, melhorar a saúde respiratória, ajudar a manter a clareza de espírito em momentos de tensão e ansiedade, entre muitas outras circunstâncias.

 

A sua riqueza em antioxidantes ajuda no combate aos radicais livres que causam danos às células, retardando o processo de envelhecimento celular e doenças degenerativas. Este poder de proteção que vem do elevado teor de compostos fenólicos e pigmentos, tais como a antocianina, flavenóides, também abundante em uvas vermelhas e acima de tudo no açaí.
Modo de Utilização – Pode adicionar o seu estrato em pó diariamente nas saladas, batidos, sumos naturais, iogurte ou cereais. Pode ainda optar por misturar simplesmente num copo de água e consumir pela manhã.

 

Dosagem diária recomendada – 3g (1 colher de chá).

 

Quinoa

A quinoa é considerada, por muitos investigadores, um dos alimentos mais completos. Nomeadamente no que diz respeito ao seu balanço ideal de proteínas, comparativamente com qualquer outro grão. É isenta de glúten e contém doses consideráveis de ácidos gordos ómega 3 e ómega 6 e de vitaminas A, C e E, com uma forte e importante ação antioxidante.

 

A sua preparação é muito simples, tal como o arroz, basta cozer para uma medida de quinoa, duas de água e deixar cozinhar. Pode consumi-la quente ou fria. Deve comer 4 colheres de sopa entre três a quatro vezes por semana, cozida, a acompanhar carne ou peixe. Também a pode ingerir misturada nas saladas, com outros vegetais ou em sopas e risotos.

 

Modo de Utilização – Cozinhar em água, utilizando 1 medida de quinoa para 2 de água.

 

Dosagem diária recomendada – 4 colheres de sopa 3-4 vezes por semana.

 

Sementes de chia

As sementes de chia são consideradas uma das melhores fontes de ácidos gordos, ómega 3 e 6, essenciais para o bom funcionamento das células e tecidos. São ainda ricas em antioxidantes, em aminoácidos essenciais e em minerais como cálcio, ferro, fósforo, selénio, potássio, magnésio.

 

Este extenso conjunto de propriedades da chia contribui para a saúde do nosso organismo, no que respeita a redução do colesterol sanguíneo, no controle da glicemia, formação óssea, prevenção do envelhecimento precoce e na melhoria geral da imunidade do organismo, mantendo paralelamente o bom funcionamento da flora intestinal e auxiliando o processo de eliminação (desintoxicação) do organismo.

 

As sementes de chia têm ainda a capacidade de absorverem 8 a 12 vezes o seu peso em água quando hidratadas. A água retida nas sementes sob a forma de gel hidrata o organismo ao longo do dia, contributo indispensável para um funcionamento celular perfeito, sendo benéfico para os intestinos e também para a sensação de saciedade. São, por este motivo, indicadas para quem deseja perder peso de forma saudável, sem grandes sacrifícios.

 

Modo de Utilização – São sementes crocantes que, devido à sua versatilidade, ficam saborosas com qualquer alimento da sua eleição. Pode misturá-las, inteiras, moídas ou em gel, em batidos, cereais, iogurtes, saladas de fruta e sopa.

 

Dosagem diária recomendada – 2 colheres de sopa (cerca de 15 gramas).

Artigo anterior

Algoritmos informáticos detetaram propagação de cancro da mama melhor que patologistas

Próximo artigo

Cancro da mama: Grupos parlamentares apoiam 8 recomendações da Sociedade Portuguesa de Oncologia