Home»FOTOS»Os problemas de saúde que o calor traz e as recomendações para os evitar

Os problemas de saúde que o calor traz e as recomendações para os evitar

As temperaturas voltam a aumentar, pelo que nunca é demais reforçar as recomendações que deve ter para não ficar desidratado, esgotado ou ter outro problema mais grave por causa do calor. A DGS alerta sobretudo para os golpes de calor, cãibras e esgotamento devido ao calor. Conheça os sintomas e saiba como se proteger.

Pinterest Google+

Idosos, crianças, mulheres grávidas e pessoas com doenças crónicas perfazem, segundo a Direção-Geral da Saúde (DGS), os grupos de riscos, mas todos devemos ter em atenção um conjunto de cuidados que vão ajudar a que se previna os efeitos da onda de calor que se aproxima, da melhor forma possível.

 

Com uma vaga de calor a chegar ao país, as recomendações sobre os cuidados a ter são sempre bons de relembrar, já que o calor em excesso pode trazer inúmeros malefícios que em situações mais extremas podem levar a danos irreversíveis ou à morte.

 

VEJA TAMBÉM: COMO USAR O PROTETOR SOLAR DE FORMA CORRETA

 

A exposição a períodos de calor intenso, durante vários dias consecutivos, provoca uma grande agressão para o organismo, que luta para manter uma temperatura corporal de 37° C. Porém, «durante os períodos de calor intenso, o corpo produz suor, sendo esta a principal forma que permite o arrefecimento do corpo à medida que o suor produzido se evapora. Quando os níveis de humidade do ar aumentam, o suor não consegue evaporar tão depressa como seria aconselhável. A evaporação do suor para completamente quando a humidade relativa atinge os 90%. Nestas circunstâncias, a temperatura do corpo aumenta e o consequente aumento da produção do suor pode levar à desidratação excessiva, podendo provocar danos irreversíveis no cérebro ou em outros órgãos, ou até mesmo à morte», explica a DGS no seu site.

 

Podem assim surgir os golpes de calor, as cãibras e o esgotamento devido ao calor extremo. Para não correr este risco, beba água, ou somos naturais, frequentemente, e certifique-se de que aqueles que o rodeiam fazem o mesmo. Este cuidado tem de ser maior se fizerem parte do grupo de risco.

 

VEJA TAMBÉM: NÃO BEBO ÁGUA. E AGORA?

 

Só que o calor extremo não leva só à desidratação. Pessoas diferentes têm reações diferentes ao calor. Se umas ficam ligeiramente ruborizadas, outras passam um pouco pior e é preciso ter muito cuidado com elas. Golpes de calor (acontece quando o corpo deixa de produzir suor e não arrefece), edemas (inchaço dos músculos), esgotamentos (acontece quando o corpo perde muita água por causa da transpiração) e cãibras (acontecem pela simples exposição ao calor intenso, durante ou após atividade física, ou por causa de uma hidratação inadequada) são alguns dos problemas a enfrentar se estiver exposto a um calor intenso durante muito tempo.

 

Com o aumento do calor há sempre uma maior preocupação com a radiação ultravioleta, o que faz com que a exposição ao sol seja bastante prejudicial para a pele e restante organismo que devido ao calor já está algo enfraquecido. Para precaver-se destes e de outro tipo de situações, a Direção-Geral da Saúde, deixa-lhe alguns cuidados a ter para que enfrente o calor da melhor forma possível sem perder as suas férias. Conheça-os na galeria que está no início do artigo.

Artigo anterior

Aproveite o verão para beijar (saiba porquê)

Próximo artigo

Melancia, benefícios do maior fruto do verão