Home»ATUALIDADE»ENTREVISTAS»«Os portugueses têm pouca força de vontade para mudarem o seu estilo de vida»

«Os portugueses têm pouca força de vontade para mudarem o seu estilo de vida»

Tem força de vontade, mas pouca vontade de fazer força? Alexandre Fernandes e João Lapa prometem ter a chave para a mudança. Um é nutricionista, o outro é preparador físico e acabam de lançar o livro ‘Estilo de Vida - A Dieta que Resulta’, que dá as informações necessárias para alcançar um estilo de vida mais saudável.

Pinterest Google+
PUB

O que vos levou a escrever este livro?

Alexandre – Já faz uns anos que nos conhecemos e que já tinha desafiado o João para escrever um livro. No entanto, este livro partiu do convite do João e desafiou-me a escrever um livro juntamente com ele diferente daqueles que existem no mercado.

 

João -Fizemos a pós-graduação em Exercício, Nutrição e Saúde  juntos! Desde ai fomos sempre mantendo o contacto! Depois achamos que devíamos passar a nossa experiência do que realmente resulta e que é exequível manter ao longo do tempo, ou seja, um estilo de vida!

 

A abordagem feita nas duas dimensões (nutrição e exercício físico) é porque só assim se conseguem os resultados desejados?

Alexandre – Sim, sim. Cada vez mais é importante conciliar uma boa alimentação com a prática de exercício físico, principalmente por quem percebe. Porque, afinal de contas, livros existem muitos, mas este é completamente diferente.

 

João – Sem dúvida! Não há outra hipótese! Se só fizermos uma dieta iremos perder massa gorda mas também massa muscular que é fundamental para a nossa saúde! Tal como na dieta, o modelo de exercício que propomos é também um que as pessoas possam fazer durante muito tempo e não o mais comum que na atualidade são atividades de alto impacto e com maior risco de lesão associado!

 

Veja também: Os benefícios de beber água alcalina

 

Que tipo de treino propõem neste livro e para que tipo de pessoas?

João – O tipo de treino proposto chama-se treino de força de alta intensidade (não confundir com alto impacto) que surge de uma corrente mais antiga criada por Arthur Jones! O treino consiste em realizar os exercícios com velocidades lentas garantindo um maior recrutamento de fibras musculares e evitar as acelerações e impactos que estão associados a lesões! Por ter estas características é um método que se adequa a todo o tipo de pessoas uma vez que a intensidade é ajustada consoante as capacidades das mesmas.

 

E em termos de alimentação, o que propõem como estratégia para acompanhar o exercício proposto?

Alexandre – A proposta que sugerimos é uma dieta half-carbs. Isto significa que a pessoa pode reduzir para metade as quantidades de hidratos de carbono (farináceos) que come, juntamente e cumprindo as regras de ouro para ter resultados excelentes.  E o tipo de alimentação sugerido é isento de glúten, lactose e ogms. Ou seja, a pessoa come 7 vezes por dia, emagrece, nunca tem fome e tem energia para os exercícios descritos. Não é assim, João?

 

João – A nossa proposta é claramente um resultado na nossa experiência quer com pessoas comuns quer com atletas de alto rendimento! Sabemos que os hidratos de carbono são essenciais na nossa vida, por isso, não os retiramos como acontece em muitas dietas. Por outro lado, também sabemos que quando diminuímos as suas quantidades conseguimos reduzir as percentagens de massa gorda! Quanto à isenção de glúten, lactose e ogm, muitos dos nossos clientes e atletas conseguiram melhorar os seus processos digestivos bem como o desaparecimento de algumas alergias, sentiram-se com mais energia sem serem intolerantes ou alérgicos a qualquer um deles!

 

Veja também: 10 alimentos para ganhar músculo e perder gordura

 

É possível uma pessoa sozinha ao ler o livro conseguir os resultados sugeridos?  Como conseguiram colmatar a ausência de acompanhamento profissional?

Alexandre – Porque a simplicidade com que o livro está escrito e a nossa experiência enquanto profissionais de saúde, bem como termos vivido a dieta e o esquema de exercício físico fez-nos acreditar que o emagrecimento é possível, com excelentes resultados!

 

João – Acreditamos que sim! Se assim não fosse não teríamos escrito o livro! Quem tiver possibilidades de ter um acompanhamento personalizado e que respeite estes princípios melhor ainda!

Artigo anterior

Há uma lotaria de 100 milhões em cada um de nós

Próximo artigo

Mães tardias vivem mais tempo