Home»ATUALIDADE»ESPECIALISTAS»Ortorexia: A busca de uma alimentação saudável

Ortorexia: A busca de uma alimentação saudável

Trata-se de uma obsessão doentia por ingerir alimentos saudáveis e até mesmo evitar ou recusar-se a comer pequenas quantidades de gorduras, alimentos com químicos ou com adição de sal. Na altura em que as dietas voltam a ser tema forte, o nutricionista Alexandre Fernandes explica os sintomas de quando esta preocupação é levada ao extremo.

Pinterest Google+

Não se tem falado muito do que poderia ser uma nova patologia relacionada com os transtornos alimentares, no entanto, é bastante antiga e intitula-se de ortorexia – uma patologia cultural.

 

A diferença desta efemeridade com a anorexia e a bulimia nervosa, por exemplo, é que nestas patologias os problemas centralizam-se na quantidade de alimentos que os pacientes ingerem, enquanto que na ortorexia o problema reside na obsessão por ingerir alimentos de boa qualidade e os mais saudáveis.

 

VEJA TAMBÉM: «UM ORGANISMO ACIDIFICADO É UM ÍMAN PARA O DESENVOLVIMENTO DE DOENÇAS»

 

A palavra é um neologismo baseado no grego, em que orthós significa “correto” e “verdadeiro”, e oréxis quer dizer apetite. Trata-se de um quadro onde o portador é alguém muito preocupado com os hábitos alimentares e dedica grande parte do seu tempo a planear, comprar, preparar e fazer refeições o mais saudável possível. Excluem da sua alimentação a carne (principalmente vermelha), as gorduras, alimentos onde foram adicionados aditivos, pesticidas e/ou herbicidas e outras substâncias que podem prejudicar o organismo.

 

Regra geral, estas pessoas costumam ser de tal forma restritivas, que se sentem culpadas quando não cumprem ou castigam-se com uma alimentação ainda mais rígida quando cometem um deslize. As adolescentes são as mais afetadas, seguindo o modelo das grandes atrizes muitas das vezes excêntricas.

 

VEJA TAMBÉM: OS ALIMENTOS MAIS RICOS EM ANTIOXIDANTES

 

Na maioria das pessoas, a ortorexia tem como provável início uma primeira refeição de macrobiótica, com consumo exclusivo de alimentos de origem vegetal como as frutas, os legumes, os vegetais, os cereais, as leguminosas e poucos alimentos de origem animal – o ovo, o leite e os laticínios. Mais tarde, com um consumo diário e um interesse por este tipo de alimentação, a personalidade destes indivíduos modifica-se e começam a delinear uma forte inclinação obsessiva alimentar, começando a restringir alguns alimentos (patologia semelhante à vigorexia, pois em ambas existe uma preocupação exagerada, chegando a ser tirânica, com a perfeição e uma forte rigidez às normas e regras impostas por pensamentos errados e mal informados). Neste sentido, o indivíduo entraria numa alimentação considerada politicamente correta e supostamente saudável.

Artigo anterior

Ideias para passar um fim de semana a dois em grande

Próximo artigo

Seis tradições de Páscoa na Europa