Home»ATUALIDADE»NOTÍCIAS»Organizações mundiais unem-se para procurarem novas formas de melhorar a saúde

Organizações mundiais unem-se para procurarem novas formas de melhorar a saúde

Onze organizações mundiais nas áreas da saúde e do desenvolvimento comprometeram-se a trabalhar de forma integrada em novas formas para melhorar a saúde a nível mundial e assim alcançar os objetivos traçados para o Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas, em 2030. O plano conjunto será apresentado em 2019.

Pinterest Google+

Sob a coordenação da Organização Mundial de Saúde (OMS), a Gavi the Vaccine Alliance, o Fundo Global de Combate à Sida, Tuberculose e Malária, o Global Financing Facility, UNAIDS, UNDP, UNFPA, UNICEF, Unitaid, ONU Mulheres e  Banco Mundial juntaram-se a esta para trabalhar em novas formas de melhorar a saúde a nível mundial e assim alcançar os objetivos traçados para o Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas, revela a OMS em comunicado.

 

Esta união entre as organizações acontece depois do pedido de vários líderes mundiais, de onde se destacam nomes como os da chanceler alemã, Angela Merkel, ou do Secretário Geral das Nações Unidas, António Guterres, para se criar um plano de ação a nível global que ajude a acelerar as metas direcionadas à saúde e que devem ser atingidas, pelo Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas, até ao ano de 2030.

 

VEJA TAMBÉM: PEDRO FIGUEIRA: «OS PROBLEMAS DE COLUNA SÃO A SEGUNDA RAZÃO DE VISITAS AO MÉDICO»

 

Este grupo concordou desenvolver novas formas que permitam trabalhar em conjunto e maximizar os recursos, para além de ser possível medir as medidas propostas de uma forma mais justa e transparente.

 

As organizações na primeira parte do seu plano de desenvolvimento traçaram três abordagens estratégicas a utilizar: alinhar (todas as medidas serão tomadas pelas organizações de uma forma mais coordenada para que haja uma maior eficiência), acelerar (as organizações aceitaram desenvolver abordagens comuns e coordenar ações em áreas de trabalho que têm como objetivo aumentar o ritmo do progresso na saúde global) e contabilizar (para melhorar a transparência e a prestação de contas aos países e parceiros de desenvolvimento, as organizações estão inovar ao estabeleceram diretrizes comuns, que vão servir como uma referência comum para determinar onde o mundo estará em 2023 e futuramente em 2030).

 

«Pessoas saudáveis ​​são essenciais para o desenvolvimento sustentável, para acabar com a pobreza, promover sociedades pacíficas e inclusivas e proteger o meio ambiente. No entanto, apesar dos grandes avanços feitos contra muitas das principais causas de morte e doença, devemos redobrar os nossos esforços ou não alcançaremos várias das metas relacionadas com a saúde», anunciaram ontem as diferentes organizações durante a Cimeira Mundial de Saúde, que aconteceu em Berlim, Alemanha, de 14 a 16 de outubro.

 

VEJA TAMBÉM: ESTUDO MOSTRA QUE MAIS DE DOIS TERÇOS DA POPULAÇÃO PORTUGUESA TEM DEFICIÊNCIA DE VITAMINA D

 

«O Plano de Ação Global representa um compromisso histórico com novas formas de trabalhar em conjunto para acelerar o progresso no cumprimento das metas de 2030. Estamos comprometidos em redefinir como as nossas organizações trabalham juntas para oferecer um apoio mais efetivo e eficiente aos países e para alcançar uma melhor saúde e bem-estar para todas as pessoas», concluem.

 

Uma das ações que vai ser reforçada neste plano diz respeito às desigualdades de género que funcionam como barreira ao acesso a melhores cuidados de saúde. Pretende-se uma melhoria nos serviços de saúde sexual e reprodutiva.

 

Esta iniciativa, que é coordenada pela Organização Mundial da Saúde, irá, numa próxima fase receber mais organizações, como é o caso do Programa Mundial de Alimentos, que já se comprometeu a aderir ao plano nos próximos meses. Este plano final será apresentado na próxima Assembleia Geral das Nações Unidas, que irá acontecer na cidade de Nova Iorque em setembro de 2019.

 

 

 

Artigo anterior

Marca americana inspirada na força das mulheres lançada em Portugal

Próximo artigo

As diferenças entre perder peso e emagrecer