Home»GLAMOUR»BELEZA»Orelhas de abano para sempre?

Orelhas de abano para sempre?

As orelhas em abdução podem ser corrigidas em a partir dos cinco anos, para que se evitem problemas de autoestima e episódios de bullying recorrentes. Contudo, também é possível a sua realização em idade adulta sem qualquer prejuízo nos resultados.

Pinterest Google+

A expressão “orelhas de abano” é muito utilizada para fazer referência a orelhas mais salientes em relação à cabeça. O termo médico para esta questão é orelha em abdução. É uma característica que atinge tanto homens como mulheres e de uma maneira geral tem uma origem congénita, ou seja, já nascemos assim.

 

Tenho vindo a receber pacientes com esta condição que não têm noção de que há uma cirurgia cujo objetivo é precisamente a correção do problema – a otoplastia. Grande parte dos meus pacientes tem problemas de autoestima derivados da proeminência das suas orelhas. Por ser uma característica física bastante visível e, nestes casos, chamando mais a atenção, há inclusivamente casos de episódios traumatizantes e mesmo de reclusão social.

 

Posto isto, cabe-me informar que as orelhas em abdução podem ser corrigidas em criança – depende sempre do caso, mas poderá ser a partir dos cinco anos – para que se evitem estes problemas de autoestima e episódios de bullying recorrentes. Contudo, também é possível a sua realização em idade adulta sem qualquer prejuízo nos resultados finais.

 

A otoplastia

A otoplastia é a cirurgia que permite a correção de deformidades na orelha, nomeadamente as já referidas “orelhas de abano”. Neste caso concreto, actuo ao nível da cartilagem da orelha através da remoção de uma parte desta mesma cartilagem. O objetivo é que as orelhas fiquem bem posicionadas e mais próximas da cabeça, apresentando um resultado natural e definitivo. A cicatriz localiza-se na parte de trás da orelha tornando-se praticamente invisível.

 

A cirurgia dura aproximadamente uma hora e meia recorrendo a anestesia local – ressalvo apenas que no caso das crianças é com anestesia geral – não carecendo de internamento. Após a cirurgia o paciente deve seguir alguns cuidados específicos de pós-operatório. No dia da cirurgia irá sair com um penso único à volta da cabeça para assegurar a posição certa das orelhas; ao fim de 3 a 4 dias passamos para uma banda de compressão elástica na zona operada que deverá manter as 24 horas, por um período de 10 dias.

 

O paciente poderá retornar à sua atividade laboral no dia seguinte à cirurgia desde que mantenha os pensos ou a fita de compressão de modo a proteger e assegurar a posição das orelhas. Quanto ao exercício físico, depende sempre da intensidade do mesmo, mas, por norma, poderá voltar a praticar após quatro semanas; já os desportos de contacto poderão ser retomados após as quatro semanas com a utilização da fita para assegurar o melhor resultado possível.

 

Quanto mais cedo for realizada tanto melhor para evitar possíveis traumas associados à sua imagem. Caso tenha orelhas salientes ou tenha um familiar/amigo próximo com esta condição, saiba que é uma cirurgia com um resultado definitivo e com poucas complicações e que pode melhorar significativamente a qualidade de vida e a autoestima da pessoa afetada.

Artigo anterior

Alimentos altos em colesterol... mas saudáveis

Próximo artigo

Qual a idade certa para as tarefas domésticas? Um pediatra responde