Home»ATUALIDADE»NOTÍCIAS»Oceanos no centro da programação do maat em junho e julho

Oceanos no centro da programação do maat em junho e julho

Museu em Lisboa promove uma série de programas públicos acerca da nossa relação com o mundo marinho, integrados na Década das Ciências Oceânicas para o Desenvolvimento Sustentável, decretada pela ONU para 2021-2030. Workshops, conversas, oficinas para crianças e simpósios a agenda.

Pinterest Google+
PUB

O oceano e a nossa relação com o mundo marinho são temas centrais de uma programação que o maat promove nos meses de junho e de julho, em plena Década das Ciências Oceânicas para o Desenvolvimento Sustentável, decretada pela ONU para 2021-2030.

 

Ao longo de várias semanas, o museu apresenta uma programação com propostas que abrangem várias áreas do pensamento, diversos públicos – do mais generalista a públicos mais especializados –, bem como várias faixas etárias: workshops, conversas, oficinas para crianças, simpósios e screenings. A programação decorre no âmbito da exposição Aquaria – Ou a Ilusão de um Mar Fechado, com curadoria de Angela Rui

 

Vários dos programas apresentados resultam de parcerias estabelecidas pelo maat com instituições nacionais e internacionais como o Oceanário de Lisboa, a Design Academy Eindhoven e a TBA21-Academy.

 

VEJA TAMBÉM: SAIBA O QUE OS OCEANOS REPRESENTAM PARA A VIDA NA TERRA

 

Arquitetura do mar fechado: parceria com a TBA21-Academy

O maat associou-se à TBA21-Academy para apresentar um programa especial que explora temas ligados à convivência, colaboração e coesão dos oceanos.

 

O programa inclui um simpósio de quatro dias que explora a ressonância arquitetónica, geopolítica e histórica de duas técnicas espaciais para conhecer e governar a vida marinha na era moderna: o aquário e a área marinha protegida.

 

O programa inclui a colaboração da geógrafa e consultora Louise Emily Carver, que irá participar numa viagem de campo a uma exploração aquícola -, a Finisterra, que faz cultivo de mexilhão – e em conversas e workshops sobre sistemas de alimentação oceânica e a “questão da proteína”, procurando coletivamente elaborar ideias para apoiar formas de viver e comer bem, em conjunto.

 

A TBA-21 Academy é uma organização artística contemporânea e um ecossistema cultural que promove uma relação mais profunda com o Oceano através da lente da arte para inspirar cuidado e ação. Esta instituição funciona como uma incubadora de investigação colaborativa, produção artística e novas formas de conhecimento, combinando arte e ciência.

 

 

PROGRAMAÇÃO

Pedagogies of the sea

Conversa + performance + screening

18.06

Uma conversa-performance com alunos do programa do 1º ano do Mestrado em Geo-Design, da Design Academy Eindhoven, que aborda o Oceano a partir de uma perspetiva ontológica.

 

 

Desvio guiado

workshop

19.06

Workshop com o studio òbelo em que os participantes são convidados a elaborar e a trocar textos, envolvendo-se na produção de novas narrativas aquáticas.

 

 

Arquitetura do Mar Fechado

Simpósio + workshops

01.07 – 04.07

Arquitetura do Mar Fechado: Entre o Aquário e a Área Marítima Protegida é um programa público desenvolvido em parceria com a TBA21-Academy que explora a ressonância arquitetural, geopolítica e histórica de duas técnicas espaciais de conhecimento e governação da vida marinha na era moderna.

 

 

Aquários – Construir um mundo marinho

Workshops

06-07 – 07.07

Neste workshop para jovens profissionais das áreas de biologia, design, arquitetura e engenharia, os participantes irão mergulhar num trabalho intenso e estabelecer um diálogo próximo com os especialistas que estão nos bastidores do Oceanário – a construção do edifício e as especificidades do seu funcionamento, os cuidados e rotinas para garantir o bem-estar das espécies. Uma programação maat x Oceanário de Lisboa.

 

 

Aquários — Uma janela para a conservação do mundo marinho

Visita

26.06

Visita à exposição Aquaria – Ou a Ilusão de um Mar Fechado orientada por um biólogo marinho do Oceanário de Lisboa.

 

Fósseis do futuro

Oficina de crianças para urgência climática

26.06

Vamos andar milhões de anos para a frente e analisar os vestígios de uma espécie invasora que viveu no “Plastocénico”, a Época do plástico (que é a Época em que nos encontramos agora). Com barro e gesso vamos criar fósseis de Plasticus maritimus e descobrir mais sobre esta espécie. Uma parceria maat e Novo Verde/ERP Portugal.

 

Artigo anterior

Saiba o que os oceanos representam para a vida na Terra

Próximo artigo

Nos santos populares, a rainha é a sardinha!