Home»LAZER»DICAS & VIAGENS»Óbidos: Ginja, flores e muitas igrejas

Óbidos: Ginja, flores e muitas igrejas

Se quer conhecer esta pitoresca vila nas suas múltiplas dimensões históricas e fora da azáfama dos seus grandes eventos, esta é a altura certa.

Pinterest Google+

Passear por estas ruas caiadas de branco, com barras coloridas e flores à janela despertam-nos uma saudade de tempos antigos. Pois muitas destas casas com cal a cair e pinturas desbotadas fazem-nos lembrar uma terra parada no tempo. As ruas tranquilas e labirínticas, o castelo no alto e as várias igrejas ajudam a criar este ambiente sereno e calmo…

 

Mas falar de Óbidos é falar também de cultura. Tem uma grande dinamização cultural que lhe valeu já o título de Vila Literária da UNESCO. Óbidos também se firmou no mapa pelo nome da pintora Josefa de Óbidos (1630-1684). Josefa instala-se em Óbidos e inicia uma intensa atividade na área da pintura, granjeando bastante fama nacional e internacional. Josefa quebrou muitos dos cânones de uma sociedade predominantemente masculina, estabelecendo-se profissionalmente como pintora.

 

VEJA TAMBÉM: COLÓNIA, UMA CIDADE ECLÉTICA NO CORAÇÃO DA EUROPA

 

Mas Óbidos não está confinada às suas muralhas. Expressa-se muito além destas. Localizada no Oeste, a si lhe pertencem quatro praias: Covões, El-Rei, Cortiço e Bom Sucesso. Mas é a Lagoa de Óbidos que mais fama granjeia. É o sistema lagunar costeiro mais extenso da costa portuguesa. Possui uma área total aproximada de 6.9 km2 e uma profundidade média de dois metros.

 

Para além da pesca do robalo, linguado e outros peixes e moluscos, aqui se pratica, ao longo de todo o ano, diversas atividades como vela, windsurf, canoagem, paddleboarding, etc. Se quiser experimentar, tem várias empresas que promovem estas experiências na Lagoa.

 

VEJA TAMBÉM: ERICEIRA, TERRA DE OURIÇOS E DO MAR DAS SETE ONDAS

 

Esta pequena e pacata vila conseguiu fazer-se notar ao país com a organização de inúmeros festivais de sucesso, que serviram de inspiração a muitas outras iniciativas no país.  A sua transformação nos mais variados temas consegue levar os visitantes a outras épocas e mundos fora da realidade. Os principais são o Festival Internacional de Chocolate, que terminou a 5 de maio, o Mercado Medieval de Óbidos, que se realiza no verão, e o Óbidos Vila Natal, que se realiza no inverno.

 

Mas faz-se notas também por um dos seus ex-libris, a ginginha, que pode ser servida simples, com elas, em copo de chocolate ou copo normal. Como vê, não é uma decisão fácil.

 

 

Artigo anterior

Troca desnecessária? Alimentos diet também podem levar à diabetes e obesidade

Próximo artigo

Vai a um casamento? Seja o convidado perfeito