Home»ATUALIDADE»ESPECIALISTAS»O vinho do nosso corpo (sangue) é na verdade rico em água

O vinho do nosso corpo (sangue) é na verdade rico em água

Cada função do nosso corpo está ligada ao fluxo osmótico da água. Dentro e entre as células, ela é responsável por fazer funcionar a nutrição de todas as substâncias vivas.

Pinterest Google+
PUB

Somos um sistema biológico organizado e composto por uma grande percentagem líquida. O nosso sangue, o nosso plasma e o nosso citoplasma são, na verdade, compostos na sua maioria por água, num total de 93%, e os outros 7% por oxigénio, glicose, proteínas, vitaminas, sais minerais, aminoácidos, lipídios, ureia, etc.   Consegue agora entender, porque razão, precisamos de ter o ‘vinho do corpo’ em estado de grande qualidade, produzido pela melhor casta de nutrientes?

 

São três os estados da água no planeta; líquido, gasoso e sólido. A água é a substância básica da vida no planeta. A sua função, no ser humano, é evitar a oxidação do nosso corpo. Ao oxidarmos, envelhecemos mais rápido e criamos degeneração celular. Metade do nosso peso corporal é água. A nossa gordura corporal é composta de 20% de água, o cérebro tem 85% de água, os rins 80%, os músculos 75% e o fígado e a pele 70%. Este panorama percentual mostra-nos que sem água os nossos órgãos definham, desidratam e adoecem, numa morte lenta e dolorosa.

 

Cada função do nosso corpo está ligada ao fluxo osmótico da água. Dentro e entre as células, ela é responsável por fazer funcionar a nutrição de todas as substâncias vivas. Cientificamente há muitas pesquisas que comprovam que a água age como um meio que transfere e retransmite as minúsculas frequências da informação do DNA de uma célula para outra célula. Posso afirmar que um dos seus maiores poderes é a sua ação antioxidante. O seu poder como solvente universal é regularizar todas as funções metabólicas do corpo, por isso é que, para perder peso, precisamos de beber no mínimo cerca de 1,5 l a 2,5 l de água por dia, de acordo com o perfil metabólico de cada pessoa.

 

Agora, com o tempo quente de verão, não deixe o seu corpo morrer de sede. Você e o vinho do seu corpo precisam de água. Esta é a equação certa para ter saúde, juventude e mais alegria de viver. A sua longevidade depende apenas de si.

 

Agora, para que possa sentir, gota a gota, o poder da vida, deixo-lhe aqui um poema, com letra de Rui Manuel Cuca e música dos Neruda.

 

BEBO O VINHO DO TEU CORPO

 

Bebo o vinho do teu corpo

Devagar como se a boca

Fosse uma flor onde o tempo

Desenha um mapa da vida

 

Corre o vinho do teu corpo

Nos lençóis da madrugada

E há carícias debruçadas

À janela do silêncio

 

Bebo o vinho do teu corpo

Bebo até morrer de sede

Bebo o vinho do teu corpo

Bebo até morrer de sede

 

E provo o vinho do teu corpo

Gota a gota e beijo a beijo

Como quem recolhe o sonho

De entre os dedos de um sorriso

 

Corre o vinho do teu corpo

Nos regatos do luar

Que hão-de vir desaguar

Mansamente nos meus braços

 

Bebo o vinho do teu corpo

Bebo até morrer de sede

Bebo o vinho do teu corpo

Bebo até morrer de sede

 

Bebo o vinho do teu corpo

Devagar e quase a medo

Na surpresa dos segredos

Copos cheios de prazer

 

Bebo o vinho do teu corpo

Bebo até morrer de sede

Bebo o vinho do teu corpo

Bebo até morrer de sede

 

Gota a gota beijo a beijo

 

Artigo anterior

Puxadores fashion? Claro!

Próximo artigo

Moda tecnológica desfila em Paris