Home»BEM-ESTAR»COMPORTAMENTO»O som que faz enquanto mastiga influencia a quantidade que come

O som que faz enquanto mastiga influencia a quantidade que come

Depois de ler esta notícia, garantimos que vai passar a ver televisão com o volume mais baixo – o som engorda!

Pinterest Google+
PUB

Um grupo de investigadores da Universidade de Brigham Young e da Universidade de Colorado (ambas localizados nos EUA) descobriu que o ruído que a comida faz ao mastigar pode ter um efeito significativo sobre a quantidade de comida que ingere. O estudo foi publicado na ‘Food Quality and Preference’.

 

O ‘Crunch Effect’, como foi designado o fenómeno, sugere a possibilidade de o indivíduo comer menos quando está consciente do som que faz enquanto mastiga. Posto isto, ver televisão com o volume alto ou ouvir música alta enquanto come pode mascarar os sons incomodativos que se provoca enquanto mastiga.

 

«Os consumidores e os investigadores têm negligenciado os sons dos alimentos como uma importante sugestão sensorial na experiência de comer», disse a co-autora Gina Mohr à ‘Food Quality and Preference’.

 

Veja a galeria: Alimentos gordos que afinal são saudáveis

 

Para dizimar as dúvidas que possam surgir, os investigadores não se referem ao cheiro do bacon ou ao som das pipocas a estoirar no tacho, mas sim ao som provocado pela mastigação.

 

Foram realizadas experiências, em separado, para descobrir os efeitos da ‘comida silenciosa’ e o que as pessoas pensam sobre o assunto. Os participantes usaram fones nos ouvidos e ouviram música alta ou baixa enquanto comiam. O grupo que comeu mais – 4 pretzels – fê-lo enquanto ouvia música num volume elevado. O grupo ‘silencioso’ apenas comeu 2,75 pretzels.

 

«Quando o som de consumo é mascarado  como quando, por exemplo, vê televisão enquanto come, pode fazer com que coma mais do que o habitual», disse Ryan Élder, professor assistente na Universidade de Brigham’, `a ‘Food Quality and Preference’. Ainda que os efeitos secundários possam não parecer graves, uma bolacha a menos ou a mais «ao longo da semana, mês ou anos, pode ter um efeito maior».

 

Este estudo sugere que o indivíduo seja mais consciente, não só do sabor e da estética do alimento, mas também do som que provoca enquanto consumido.

Artigo anterior

O Papa vai ter conta no Instagram

Próximo artigo

Caverna moderna surpreende no sul de Espanha