Home»VIDA»CASA & FAMÍLIA»O que fazer se encontrar um cão fechado num carro ao sol?

O que fazer se encontrar um cão fechado num carro ao sol?

Não parta o vidro, chame a polícia, alerta a Associação de Defesa do Consumidor, pouco tempo depois ter sido aprovado o novo estatuto jurídico dos animais, que reconhece que são seres dotados de sensibilidade.

Pinterest Google+
PUB

Caso encontre um cão fechado num carro ao sol, deve chamar a polícia e não partir o vidro para tentar salvar o animal, alerta a Associação de Defesa do Consumidor, a propósito de muitos comentários sobre o tema que incendeiam as redes sociais nesta altura do ano.

 

«As autoridades policiais estão preparadas para tratar estas situações sem colocar a vida dos animais em risco e responsabilizar criminalmente o dono, caso haja suspeição de maus tratos. Por isso, aconselhamos a chamar a polícia se encontrar um animal trancado no carro. Só em casos extremos, por exemplo, se for evidente que as autoridades não chegam a tempo de salvar o animal, pode haver quebra do vidro. De outro modo, poderá estar a praticar um crime de dano, punido com uma multa ou pena de prisão até 3 anos», revela a DECO.

 

Veja também: Vai de férias comum animal de estimação? Prepare-se antes

 

Os cães são seres vivos com necessidades fisiológicas, pelo que se estiverem fechados dentro de um carro ao sol, no limite, podem morrer, devido ao aumento exponencial da temperatura. «Tremores musculares, hipersalivação, perda de consciência, falta de coordenação motora, respiração ofegante, convulsões e vómitos são alguns dos sintomas provocados nos cães pelo calor extremo no interior de um automóvel», explica a associação.

 

Ao contrário do que se possa imaginar, deixar a janela aberta não é a melhor solução, pois o animal pode saltar para fora do carro, correndo o risco de se magoar. Pelo que a melhor solução será deixa-lo em casa, caso o destino do dono não aceite animais.

 

Veja também: Tenho um animal doméstico. E agora?

 

Recorde-se que recentemente entrou em vigor o novo estatuto jurídico dos animais, que reconhece que são seres dotados de sensibilidade. Segundo as novas regras, os donos continuam a ser proprietários, mas não podem provocar quaisquer maus tratos aos animais. São obrigados a assegurar o bem-estar do animal de estimação e garantir que tem acesso a água, comida e conforto. Se as regras forem desrespeitadas, podem ser punidos com multas ou penas de prisão.

 

Artigo anterior

Mãos revelam luta interna na tomada de decisões em tempo real

Próximo artigo

Competição mundial de vert skate pela primeira vez em Lisboa