Home»ATUALIDADE»ESPECIALISTAS»O que é o amor?

O que é o amor?

Não escolhemos a pessoa que amamos, nem escolhemos quando deixar de amar, o amor simplesmente acontece.

Pinterest Google+

Em primeiro lugar queria dizer que não sou capaz de responder a esta questão. Acredito inclusive que ninguém sabe muito bem o que é o amor, embora já muitos livros se tenham escrito sobre o tema. No entanto, apesar de não sabermos bem o que é o amor, todos os dias alguém diz a outra pessoa que a ama ou fala do amor que sente por ela.

 

Aqui reside o grande mistério em torno da palavra amor, sabemos todos o que é, porque todos amamos ou amámos alguém, mas é muito difícil dizer ou explicar o que significa amar. Portanto não sei responder a esta questão, porque o amor não se ensina, no sentido de se estudar, ou ouvir alguém falar sobre o tema ou ler um livro sobre o assunto e ficar-se informado. A única maneira de ficar a saber qualquer coisa sobre o amor é amar.

 

Quando nós dizemos ‘amo-te’, estamos a dizer que sentimos algo que é muito nosso, que diz respeito a outra pessoa, mas que é só nosso, inconfundível, que é invisível, secreto, profundo e muito especial. Algo que não tem comparação, não é possível medir. Só cada um de nós sabe o que é, só cada um de nós o pode compreender…

 

Não escolhemos a pessoa que amamos, nem escolhemos quando deixar de amar, o amor simplesmente acontece. Não se ama uma pessoa pelo que ela tem, mas pelo que ela é, pelo modo como ela existe. E quando se ama, não se sabe o porquê de se amar, quando começou e mesmo se vai algum dia acabar… Embora, digamos que o amor é eterno, que nunca irá acabar, não somos os donos do nosso amor, nunca podemos ter a certeza de que vai durar para sempre. Mas parece-nos sempre que sim e juramos que sim, prometemos que sim. Aqui reside um dos maiores disparates do amor, prometer aquilo que não se sabe se se vai conseguir cumprir…

 

Amar é um dar e pedir amor sem fim. O amor nunca está satisfeito, nunca enche a medida, nunca farta. Todos os dias o amor alimenta-se. Apesar de tentador e altamente frequente querer dar o mundo a quem amamos, querer viver, fazer coisas novas, viver experiências únicas…o amor quer mais do que isso.  O amor alimenta-se através de pequenos gestos, de gestos simples que fazem e marcam a diferença. Um simples abraço ou um “amo-te” a cada noite antes de dormir. Ou um carinhoso “desculpa”, são alguns exemplos.

 

Amar significa aceitar e reconhecer que as pessoas têm defeitos e virtudes. Amar é algo que vai para além das coincidências, da sintonia, é viver com intensidade a diferença e ser tolerante com os erros. É natural não gostar de tudo na pessoa que amamos. Idealizar não é amar. O que torna o amor mágico é a imperfeição do ser humano. Amar é aceitar o outro como ele é, a sua natureza, respeitar. Querer sem condições, nem exceções!

 

Amar é estar…é fornecer suporte emocional quando o outro precisa. É cuidar, é incentivar é apoiar não competir. A dependência e o amor são tão incompatíveis que não conseguem coexistir. Amar é preferir estar, é valorizar a companhia do outro, é sentir saudades, sem nunca depender. Amar não é controlar, não é exigir, é partilhar o melhor de cada pessoa, é liberdade, é confiança.

 

Neste dia de São Valentim, pense nisto!

 

P.S- O amor ganha expressão através de gestos e atitudes, por isso, sendo exemplo:

Luís, Amo-te! 

 

Artigo anterior

República Dominicana é o Destino Internacional Convidado da BTL 2020

Próximo artigo

Maior feira mundial de produtos biológicos mostra novas tendências no consumo