Home»BEM-ESTAR»COMPORTAMENTO»O fenómeno da depressão sazonal

O fenómeno da depressão sazonal

Com a descida de temperatura e os dias a ficarem cada vez mais curtos, algumas pessoas apercebem-se de que têm menos energia e sentem-se menos positivas do que habitualmente.

Pinterest Google+
PUB

Milhões de pessoas sofrem deste transtorno, especialmente aquelas que vivem em partes do mundo com longos e frios invernos. Entre 1% e 2% da população mundial é afetada por este problema.

 

Com a descida de temperatura e os dias a ficarem cada vez mais curtos, algumas pessoas apercebem-se de que têm menos energia e sentem-se menos positivas do que habitualmente. Embora estes sentimentos possam ser temporários, cerca de uma em cada três pessoas durante os meses de outono e de inverno padece de um tipo de perturbação designado como transtorno afetivo sazonal (TAS) – também conhecido como depressão sazonal.

 

Os sintomas de depressão sazonal são muito semelhantes aos que se observam em pessoas com depressões major ou crónicas, embora menos agudizados, e incluem a mudança no apetite e dores de cabeça, mas também sentimentos crescentes de agitação e ansiedade.

 

Contudo, algumas características têm sido mais associadas a este tipo de depressão, como a falta de energia, o aumento do sono – a chamada hipersónia – maior apetite e aumento de peso.

 

Ainda não há uma certeza do que causa este transtorno, mas sabe-se que é complexo e multifacetado. Acredita-se que tenha uma correlação com a distância da Linha do Equador por causa do tempo de luz. Assim, quando a órbita do sol se torna mais baixa e as horas do dia mais curtas, maior a incidência da depressão sazonal. A luz influencia o relógio biológico.

 

Por isso, quando existe uma baixa de luminosidade, há uma quebra na produção de serotonina – um neurotransmissor do cérebro, conhecido como a hormona da felicidade, que afeta o humor. E quanto menos serotonina, maior a tendência para a tristeza e depressão.

 

A luz influencia ainda a melatonina, associada ao sono. Como no inverno as noites são maiores, os níveis desta hormona aumentam, o que se traduz em fadiga e falta de energia, ambos sintomas da depressão sazonal.

 

Algumas pessoas relatam que os sintomas vão desaparecendo quando as estações do ano começam a mudar e a primavera se aproxima, no entanto, a boa notícia é que não precisa de esperar pela primavera. Há muito a fazer durante o inverno.

 

Para pessoas com TAS, uma das soluções passa pela intervenção psicológica e/ou farmacológica, altamente recomendável com resultados muito positivos.   A terapia da luz também está a ser investigada como tratamento para TAS, no entanto, sendo ainda emergente, a sua eficácia como tratamento autónomo continua ainda inconsistente.

 

Mas uma solução parece estar ao alcance de uma simples caminhada na rua. Sair de casa e obter luz natural é algo que as pessoas com TAS são aconselhadas a fazer.  Estudos demonstram isso mesmo. Embora continue incerto determinar-se o motivo de a luz do dia poder melhorar os sintomas, a verdade é que é algo fácil e extremamente eficaz e pode melhorar o seu humor a cada dia.

 

Fazemos uma caminhada?

Artigo anterior

Carne e petiscos: as comidas em que os portugueses mais pensam

Próximo artigo

Rejuvenescimento total do rosto: qual a melhor solução para mim?