Home»BEM-ESTAR»CORPO»Estudo: O exercício deixa-nos mais felizes do que o dinheiro

Estudo: O exercício deixa-nos mais felizes do que o dinheiro

Todos sabemos que o exercício faz bem à saúde física e mental. Mas e se fosse possível provar que ser ativo fisicamente é mais importante para o bem-estar mental do que o estatuto económico? Um estudo agora divulgado pelo Fórum Economico Mundial conseguiu provar isso mesmo.

Pinterest Google+
PUB

Um estudo realizado por investigadores das universidades de Yale, EUA, e Oxford, Inglaterra, indica que fazer exercício físico é mais importante para uma boa saúde mental e para nos deixar felizes do que ter dinheiro na conta bancária, divulga o Fórum Economico Mundial.

 

Os cientistas descobriram que, enquanto aqueles que se exercitam regularmente tendem a se sentir mal cerca de 35 dias por ano, os participantes não ativos sentem-se mal por mais 18 dias. A equipa também percebeu que certos desportos que envolvem socialização podem ter um efeito mais positivo na saúde mental do que outros.

 

VEJA TAMBÉM: DE VOLTA AO GINÁSIO: 10 ALIMENTOS PARA GANHAR MÚSCULO E PERDER GORDURA

 

Para o estudo, publicado no The Lancet, os cientistas recolheram dados sobre o comportamento físico e mental de mais de 1,2 milhão de americanos. Os participantes foram convidados a responder à seguinte pergunta: “Quantas vezes se sentiu mal mentalmente nos últimos 30 dias, por exemplo, devido a stresse, depressão ou problemas emocionais?”

 

Os participantes também foram questionados sobre o seu rendimento e atividades físicas. Eles puderam escolher entre 75 tipos de atividade física – desde cortar a relva, trabalho doméstico até levantamento de pesos, ciclismo e corrida. Aqueles que se mantêm mais ativos tendem a ser mais felizes em geral. Os pesquisadores descobriram também que pessoas fisicamente ativas se sentem tão bem quanto aquelas que não praticam desporto, mas que ganham cerca de 25 mil dólares a mais por ano.

 

VEJA TAMBÉM: OITO EXERCÍCIOS PARA REALIZAR EM PARES

 

Porém, alertam, os dados apurados não significam que quanto mais desporto a pessoa pratica mais feliz é. Pois quando é demasiado também pode ser prejudicial para a saúde mental. A relação entre duração da atividade e carga mental é em forma de U. Ou seja, o estudo descobriu que a atividade física contribui para um melhor bem-estar mental quando cai dentro de um determinado período. Ou seja, três a cinco sessões de treino com duração de 30 a 60 minutos por semana são ideais.

 

Mais do que isso, no entanto, pode ter o efeito oposto – na verdade, a saúde mental dos participantes que se exercitaram por mais de três horas por dia sofreu mais do que a daqueles que não eram particularmente ativos fisicamente.

 

VEJA TAMBÉM: O QUE É MELHOR? MÁQUINAS DE MUSCULAÇÃO OU PESOS LIVRES?

 

Os cientistas também notaram que certos desportos que envolvem socialização – ou seja, desportos de equipa – podem ter um efeito mais positivo na saúde mental do que outros. Apesar de nem o ciclismo, nem a aeróbica e nem o fitness tecnicamente contarem como desportos de equipa, essas atividades também podem ter um efeito positivo considerável na saúde mental.

 

O exercício faz bem à saúde, é um facto. No entanto, para muitas pessoas, ouvir dizer que a sua prática é saudável não é motivação suficiente para sair do sofá e exercitar os músculos. Conheça, na galeria acima, sete vantagens da prática do exercício que certamente lhe darão motivação extra para começar já hoje.

Artigo anterior

Terra Botanica, o primeiro parque temático da Europa dedicado ao mundo das plantas

Próximo artigo

Cinco maratonas singulares por paisagens deslumbrantes