Home»VIDA»ALTERNATIVAS»Nutrir e flutuar: a banhos com a Ayurveda

Nutrir e flutuar: a banhos com a Ayurveda

O banho matinal é específico da Índia e dos condados tropicais e faz parte do Nithyakarma prescrito. Este banho é considerado um começo de dia sagrado e inviolável e é considerado espiritual e fisicamente purificador e regenerador do corpo.

Pinterest Google+
PUB

Na Índia antiga, o banho era exaltado como um ritual elaborado. Presente desde os primórdios da Ayurveda, como o relatado pelas descobertas feitas em Mohenjo Daro, em que se encontraram estruturas grandes e avançadas, semelhantes a piscinas, com elaboradas escadarias consideradas balneários públicos.

 

A Ayurveda prescreve vários Nithyakarmas, que são atos espirituais e sagrados que devem ser feitos “Nithya”, ou todos os dias, para a nossa saúde, bem-estar e prosperidade. Viver uma vida de temperança e boa conduta é um Nithyakarma, assim como o ato de tomar banho todos os dias nas primeiras horas do nascer do sol.

 

O banho matinal é específico da Índia e dos condados tropicais e faz parte do Nithyakarma prescrito. Este banho é considerado um começo de dia sagrado e inviolável e é considerado espiritual e fisicamente purificador e regenerador do corpo. O banho diário, Snana, é um Nithyakarma tão essencial que tradicionalmente se deve evitar comer ou beber, cozinhar, oferecer orações, fazer ioga ou iniciar o trabalho de escritório antes de concluir o Snana.

 

VEJA TAMBÉM: O QUE É A AYURVEDA?

 

Benefícios do banho ayurvédico matinal diário

“O banho purifica, promove a vida, destrói a fadiga, remove fisicamente o suor e a sujidade, é ressuscitador e promotor de ojas ou energia divina”, Charaka Samhita – Sutrasthana shloka on Dinacharya

 

A Ayurveda descreve o banho como uma experiência terapêutica e curativa que restaura a energia física do corpo, remove toxinas acumuladas, o suor e a sujidade da pele e relaxa a mente equilibrando as emoções. Ao contrário da prática comum, um banho ayurvédico começa sem água, terminando, na verdade, com ela. Os Vedas dizem que é necessário expelir as toxinas internas antes de limpar as externas.

 

A necessidade do banho

Enquanto dormimos, o nosso corpo entra num processo de reparação e renovação. Cada sistema de órgãos tem um tempo específico quando é renovado que não sofre alterações ao longo da vida. O sistema digestivo tem precedência sobre os processos de reparação e renovação. Portanto, se uma pessoa comer tarde, estará a tirar a possibilidade de um sistema orgânico reparar-se e renovar-se.

 

Os Malas (resíduos) são o subproduto de toda digestão, reparação e regeneração no corpo. Cada sistema de órgãos libera o excesso e remove o Mala do corpo. Todos os dias as células morrem e nascem no corpo. Uma parte do Mala é também constituído dos detritos destas células mortas que devem ser transportadas para fora do corpo para mantermos uma boa saúde.

 

Os textos ayurvédicos listam os orifícios grandes e pequenos do corpo em grande detalhe e também enumeram as Malas (impurezas) que se acumulam como parte do desgaste normal dos dhatus nesses orifícios. Humidade da língua, olhos, boca, excreções dos olhos, orelhas, língua, dentes, axila, genitais, espinhas, oleosidade da pele facial, sweda (suor), secreções de sebo de kesha (cabelo) são todos mala dos dhatus (tecidos).

Na Ayurveda, a génese da maioria das doenças provém do acumulo de Malas no corpo. O Mala pode acumular-se como um subproduto da alimentação, por causa de um sono deficiente e por causa de maus hábitos.

 

Quando comemos alimentos desadequados à nossa prakriti (constituição), ou comemos tarde demais, ou comemos em quantidades desadequadas, o Agni no corpo fica comprometido. Como resultado, o corpo perde a capacidade de digerir os alimentos, de extrair nutrientes e de remover os Malas. Assim, o corpo fica enfraquecido, pode-se perder ou ganhar peso, a compleição fica baça, e a pele acumula impurezas que assumem a forma de acne, borbulhas ou outros problemas de pele. Quando os Malas são removidos desadequadamente e sem regularidade do corpo, isso leva a doenças.

 

Quando dormimos em horários impróprios, ou dormimos tarde demais, ou na hora errada ou por muito tempo, prejudicamos o processo de reparação, regeneração e renovação do corpo. Assim, os sistemas de órgãos do corpo ficam carregados de excesso de toxinas, detritos ou células mortas. Eles podem ficar muito atrasados para um “reajuste” e acabam por perder a oportunidade de reequilibrar-se quando o sono está em falta. Como resultado, o corpo começar a funcionar mal e num nível abaixo do ideal.

 

Se o Sweda mala não for removido periodicamente, principalmente em épocas em que o mala pode aumentar, o corpo perde a sua saúde e aparência de bem estar. É somente através da limpeza completa destes poros minúsculos e da remoção de detritos e células mortas que podem obstruir os canais que o corpo pode ser realmente limpo. O Mala ou toxinas de muitos sistemas de órgãos encontram o caminho para a nossa pele. Da pele, eles são liberados para fora através do derramamento de Sweda ou suor. Sweda contém o Mala do corpo na forma de óleo, detritos, células mortas, vapor ou gases e detritos da microflora ou dos pequenos organismos que vivem em nós. Isso é gerado todos os dias enquanto dormimos através do processo normal de reparação e regeneração de células e sistemas de órgãos.

 

O Ritual de Snana

Habitualmente o processo do banho ayurvédico é antecedido de uma massagem com óleo morno ou quente (consoante a estação do ano) em todo o corpo. Isto garante que o óleo penetre e forneça nutrição às camadas profundas da pele. Além disso, a camada de óleo evita que a pele seque após a limpeza e lavagem com água que se segue. São normalmente usados óleos puros, naturalmente destilados e cultivados organicamente, de preferência óleo prensado a frio rico em nutrientes, sem ser processado, que serve como o melhor óleo de massagem. Massajar bem os cotovelos, joelhos e calcanhares para obter os melhores benefícios.

 

Para quem está com pressa para começar um dia agitado de trabalho e sem conseguir dedicar mais de dez minutos de exercício pela manhã, recomenda-se fazer uma volta de Kapalabhathi (Pranayama), que  melhora o sistema digestivo, equilibra as emoções e adiciona um brilho à pele.

 

De seguida, pode-se usar um sabonete de alta qualidade ou gel de banho para limpar, e por fim, a lavagem com água, de preferência com água fria, de modo a resfriar os tecidos do corpo encharcados em óleo, especialmente nos verões quentes. Após o enxague, finaliza-se o banho acariciando, sem enxugar, o corpo com uma toalha de algodão seca. Enquanto a pele ainda estiver húmida, usar um creme ou loção corporal e finalizar com uma névoa corporal perfumada.

 

Quando suprimimos a excreção do Mala dhatu como Sweda (suor) da Pele, também podemos potenciar o desequilíbrio do corpo e a doença. A Sweda pode ser suprimida pela utilização produtos como desodorizantes anti-transpirantes, diminuindo artificialmente a temperatura (estar num ambiente com ar condicionado), obstruindo os Srotas (canais finos da pele) e a bloqueando o movimento de Sweda (transpiração). Também podemos interromper a produção deste Mala (excreção) a partir da pele, perturbando a microbiota da pele.

 

A pele atua como um órgão de suporte para apoiar a remoção geral de Mala (resíduos) no corpo. Por exemplo, quando a função renal está prejudicada, um método alternativo que é usado para apoiar o rim que está sob tensão é estimular a descarga de Sweda/suor da pele – isso é feito aumentando lentamente o trabalho doméstico, garantir que o paciente durma num quarto sem ar condicionado / ventilador, etc (junto com outros tratamentos, como diálise, etc)

 

No texto da Ayurveda, Vega Dharana – que fala sobre supressão de impulsos naturais, refere-se que quando reprimimos constantemente o desejo de urinar, isso leva à dificuldade em urinar livremente. Uma das terapias sugeridas para esta condição é a “Swedana” – promovendo a transpiração/transpiração através de vários meios para apoiar esta descarga de Mala do corpo.

 

Para limpar o Sweda Mala da Pele, os textos ayurvédicos recomendam o uso de uma combinação específica de lentilhas, grãos e ervas específicas que se adequam a cada tipo de prakriti. A ação deste produto de limpeza é extremamente subtil – ao contrário de um sabonete sintético, o produto Snana (banho ayurvédico) abre os poros da pele, favorecendo a remoção da Mala através das srotas (canais) da pele. Os poros mais diminutos da pele são gentilmente estimulados a abrirem-se e essa ação de abertura ajuda a absorver a Mala que adere ao ubtan (preparado) ayurvédico enquanto limpa a pele. Finalmente, quando a pele é enxaguada com água, todo o corpo fica revigorado, mais leve, profundamente limpo e pronto para o novo dia.

 

Como o Snana acorda fisicamente o corpo, os textos ayurvédicos aconselham que o corpo seja banhado pelo menos 30 a 45 minutos após acordar para tomar banho. Os textos aconselham sentar-se em contemplação silenciosa nos primeiros 30 a 45 minutos do dia e sugere-se que este tempo seja gasto em isolamento e reflexão. Isto acorda lentamente o corpo e o prepara para um dia de atividade. Diz-se que um banho antes disso deixa o corpo em estado de choque.

 

Pode ser importante visualizarmos uma grande pureza na água com que banhamos o nosso corpo, para que todo o ato do banho se torne um ritual de purificação e limpeza que se prolonga pelo nosso dia.

 

Artigo anterior

Artrite reumatóide: quando o sistema imunitário não funciona bem

Próximo artigo

Apetece-lhe um doce? Conheças várias alternativas ao açúcar refinado