Home»ATUALIDADE»NOTÍCIAS»Nova plataforma digital multilingue permite a todos os europeus manifestarem-se sobre o futuro da Europa

Nova plataforma digital multilingue permite a todos os europeus manifestarem-se sobre o futuro da Europa

A plataforma, disponível em 24 línguas, permite aos cidadãos de toda a UE partilhar e trocar ideias e pontos de vista em eventos organizados na Internet. Saúde, alterações climáticas, emprego e migração são alguns dos temas em debate.

Pinterest Google+
PUB

O Conselho Executivo da Conferência sobre o Futuro da Europa, composto por representantes do Parlamento Europeu, do Conselho da União Europeia e da Comissão Europeia, lança a plataforma digital multilingue para a Conferência sobre o Futuro da Europa e convida todos os cidadãos europeus a contribuírem para moldar o seu próprio futuro, assim como o de toda a Europa.

 

A plataforma, disponível em 24 línguas, permite aos cidadãos de toda a UE partilhar e trocar ideias e pontos de vista em eventos organizados na Internet. Aqui é possível discutir temas organizados por dez tópicos, entre os quais, saúde, alterações climáticas, emprego e migração.

 

«A plataforma constitui uma ferramenta essencial para dar aos cidadãos a possibilidade de participarem e de se pronunciarem sobre o futuro da Europa», declarou o presidente do Parlamento Europeu, David Sassoli. «Temos de garantir que as suas vozes são ouvidas e que intervêm no processo decisório, independentemente da pandemia de COVID-19. A democracia europeia, do tipo representativo e participativo, continuará a ser exercida aconteça o que acontecer, porque assim exige o nosso futuro comum.»

 

VEJA TAMBÉM: MULHERES SENTEM FALTA DE REFERÊNCIAS FEMININAS NA ÁREA DE TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO

 

Por outro lado, António Costa, em nome da Presidência do Conselho da Europa que Portugal assume, declarou: «Chegou o momento de os nossos cidadãos partilharem ativamente as suas apreensões e as suas ideias».

 

Para a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen. Esta «é uma excelente oportunidade para reunir virtualmente os europeus. Participe no debate! Juntos poderemos construir o futuro que queremos para a nossa União».

 

A Conferência sobre o Futuro da Europa é um exercício sem precedentes, aberto e inclusivo, de democracia deliberativa, assinala a CE em comunicado. Procura dar aos cidadãos de todos os quadrantes e de toda a Europa mais possibilidades de dizerem o que esperam da União Europeia, o que deverá ajudar a definir a direção a tomar e as políticas a elaborar pela UE no futuro. A Presidência conjunta assumiu o compromisso de dar seguimento aos resultados da Conferência.

 

A plataforma digital multilingue é totalmente interativa e multilingue: as pessoas podem dialogar e debater as suas propostas com outros cidadãos de todos os Estados-Membros, nas 24 línguas oficiais da UE. As principais ideias e recomendações alimentarão os debates nos painéis de cidadãos europeus e sessões plenárias e serão depois refletidas nas conclusões da conferência.

 

VEJA TAMBÉM: INTERNET: COMO AJUDAR OS JOVENS A COMPREENDEREM OS RISCOS

 

Todos os eventos relacionados com a conferência registados na plataforma poderão ser visualizados num mapa interativo, que os cidadãos podem percorrer para, posteriormente, se inscreverem nos eventos online que lhes interessem.

 

A plataforma está organizada em torno de diversos temas: alterações climáticas e ambiente, saúde, uma economia mais forte e mais justa, justiça social e emprego, a UE no mundo, valores e direitos, Estado de direito, segurança, transformação digital, democracia europeia, migração e educação, cultura, juventude e desporto. Complementando estes temas, existe um tema em aberto, intitulado «Outras ideias», para questões transversais, uma vez que os cidadãos poderão colocar todas as questões que considerem importantes, uma vez que a conferência promove uma abordagem centrada nos cidadãos e que toma como ponto de partida as suas aspirações.

 

A plataforma proporciona igualmente informações sobre a estrutura e os trabalhos da conferência. Está aberta a todos os cidadãos europeus, bem como às instituições e organismos da UE, aos parlamentos nacionais, às autoridades nacionais e locais e à sociedade civil e respeitará plenamente a privacidade dos utilizadores e a legislação europeia em matéria de proteção de dados.

 

 

 

Artigo anterior

Abraçar novos desafios: é capaz de fazê-lo e sair da zona de conforto?

Próximo artigo

Comer de forma intuitiva. A nova dieta?