Home»ATUALIDADE»NOTÍCIAS»Nova plataforma ajuda portugueses a mudarem para hábitos mais sustentáveis

Nova plataforma ajuda portugueses a mudarem para hábitos mais sustentáveis

No seu terceiro aniversário, a Associação Natureza Portugal lança a ‘Mudança Verde’, uma ferramenta para todos os portugueses que querem um futuro mais justo, sustentável e verde. Sabia que comer uma manga do Brasil equivale a ir de Lisboa a Sevilha de carro 16 vezes?

Pinterest Google+
PUB

A ANP, organização de conservação da natureza que trabalha em associação com a rede global WWF, apresenta hoje a Mudança Verde, uma plataforma que incentiva os portugueses a mudarem para hábitos sustentáveis assumindo um compromisso com um futuro mais justo, sustentável e verde.

 

Esta plataforma é lançada no dia em que a ANP|WWF comemora o seu terceiro aniversário e incentiva os portugueses a apoiarem a lista de desejos da ANP|WWF para a Presidência do Conselho da União Europeia.

 

Ângela Morgado, diretora executiva da ANP|WWF, afirma que «a partir de hoje a mudança será verde. Num mundo com excesso de informação é difícil saber por onde começar, mas a plataforma que lançamos ajuda as pessoas a perceberem o impacto que têm no planeta, e a adotarem hábitos mais verdes e mais justos para todos. É a forma que temos de contribuir para travar a perda dramática de natureza».

 

É também esta a opinião das 16 figuras públicas que deram a cara pela Mudança Verde. Ana Varela, Catarina Barreiros, Diogo Branco, Diogo Faro, Fábio Bernardino, Francisco Lufinha, Leonor Poeiras, Luís Represas, Miguel Blanco, Miguel Martins (EdisOne), Margarida Pinto Correia, Manuel Moreira, Sandra Coias, Quimbé, Mónica e Rubim, juntaram-se à ANP|WWF para pedir a todos que apoiem a transição verde em Portugal.

 

«Acreditamos que, com a Presidência Portuguesa ao Conselho da União Europeia, o nosso Governo tem uma oportunidade única para liderar e guiar as negociações que farão da Europa um exemplo: onde a natureza esteja no centro das decisões, em que a agricultura seja mais amiga do ambiente, os oceanos mais saudáveis, exista mais água e um futuro mais verde. Só assim teremos um futuro mais justo para os europeus, que respeita o direito a uma vida ambientalmente saudável, mais equilibrada, mais justa e mais segur», diz Ângela Morgado.

 

Lista de desejos: 

Que a Presidência Portuguesa do Conselho Europeu em 2021 traga uma agricultura mais amiga do ambiente!

  • Que defenda a Biodiversidade: incorporando a Estratégia Do Prado Ao Prato e evitando que a agricultura continue a ser uma das principais causas da perda de biodiversidade;
  • Mais Sustentável – incluindo uma gestão responsável da água e dos solos;
  • Mais Justa e Equitativa – eliminando subsídios perversos e condicionando os restantes aos objetivos do Pacto Ecológico Europeu.

 

Que a Presidência Portuguesa do Conselho Europeu em 2021 traga a natureza de volta! 

  • Promovendo a Natureza Positiva  –  travando a degradação da natureza e defendendo um quadro global ambicioso para a biodiversidade em 2030, para que a recuperação dos ecossistemas seja superior à sua degradação.
  • Comprometendo-se com a Natureza – assumindo um compromisso firme com uma rede de áreas protegidas cobrindo 30% da terra e igualmente do mar.
  • Protegendo Habitats e espécies –  desincentivando medidas que coloquem em causa os habitats e espécies ameaçados.

 

Que a Presidência Portuguesa do Conselho Europeu em 2021  traga oceanos mais saudáveis!

  • Promovendo o crescimento azul – uma Economia Azul que proteja a sua base biofísica, promovendo Áreas Marinhas Protegidas como zonas privilegiadas de conservação de espécies e habitats.
  • Promovendo um Oceano sem Plástico – assumindo passos concretos para que a Europa lidere um tratado global que combata a poluição por plásticos nos Oceanos.
  • Liderando a Pesca sustentável – assegurando que o peixe e marisco que chega à mesa dos europeus é pescado de forma legal e sustentável.

 

Que a Presidência Portuguesa do Conselho Europeu em 2021 traga um futuro com mais água para a Europa!

  • Assumindo um papel cimeiro na Estratégia de Adaptação às Alterações Climáticas – incluindo soluções que previnam inundações e secas e diminuam a escassez hídrica que muitos já enfrentam.
  • Condicionando os Subsídios Europeus – através de práticas amigas do solo e do ciclo da água, e investimentos que garantam a recompensa económica justa para quem faz bom uso da água.
  • Evitando a construção de barragens – encorajando os restantes Estados-membros a não incluírem nos seus Planos de Recuperação e Resiliência a construção de mais barragens ou centrais hidroelétricas, e promovendo a remoção de barreiras obsoletas ao livre fluxo dos rios.

 

Que a Presidência Portuguesa do Conselho Europeu em 2021 traga um futuro mais verde para a Europa!

  • Assumindo a meta de 65% de redução de GEE – a futura lei do clima deve assumir a meta de redução em 65% das emissões na Europa até 2030, excluindo os sumidouros.
  • Dizendo não à energia fóssil e nuclear- cancelar apoios ao gás fóssil e ao nuclear, por serem fontes não-renováveis de energia e geradoras de graves problemas ambientais.
  • Defendendo que todos os apoios e investimentos devem estar alinhados com as ambições do Pacto Ecológico Europeu – direcionando os fundos da UE para atividades económicas totalmente sustentáveis e/ou que promovam a mudança de atividades insustentáveis para atividades sustentáveis.

 

Que a Presidência Portuguesa do Conselho Europeu em 2021 traga um futuro mais justo para todos!  

  • Ninguém deve ser deixado para trás: as medidas ambiciosas de adaptação e mitigação devem ser inclusivas e respeitosas para com as comunidades afetadas pelas alterações climáticas e degradação da biodiversidade.
  • A Natureza deve estar no centro de todas as decisões – o nosso modelo de crescimento económico deve estar alicerçado em medidas que não prejudiquem mais o nosso clima e a biodiversidade.
  • Uma ligação estreita entre a Natureza e os Direitos Humanos, respeitando o direito a uma vida ambientalmente saudável e as expectativas ambientais dos europeus, promovendo uma vida mais equilibrada, mais justa e mais segura.

 

Por esta razão, a plataforma integra ainda uma petição que pede aos portugueses que apoiem a lista de 6 desejos da ANP|WWF para Portugal e para a Europa: «Queremos uma agricultura mais amiga do ambiente, a nossa natureza de volta, oceanos mais saudáveis, mais água e um futuro mais verde e justo para todos», adianta.

 

 

Artigo anterior

Sopa de tomate: a sopa do coração

Próximo artigo

Quer ser mais feliz? A ciência afirma que a fórmula está no exercício físico