Home»VIDA»SOCIEDADE»«Nos temas importantes somos todos muito parecidos»

«Nos temas importantes somos todos muito parecidos»

Há 10 anos que o francês Yann Arthus-Bertrand viaja pelo mundo a questionar as pessoas sobre o sentido da vida: Quais eram os seus sonhos de criança? Já viveu uma história de amor? Que desafios já superou na vida? Quais os seus maiores medos? O projeto deu origem à vídeo-exposição "7 mil milhões de Outros" que agora chega a Lisboa.

Pinterest Google+

Um pescador brasileiro, um lojista chinês, uma artista alemã e um agricultor afegão, entre milhares de outras pessoas, responderam às mesmas 45 perguntas sobre temas tão variados como o sentido da vida, sonhos e renúncias, medos, felicidade e o amor.

 

Depois de ouvir mais de seis mil pessoas, de 84 países, a falar 50 línguas diferentes, Arthus-Bertrand diz que fica sempre surpreendido quando as pessoas abrem o coração. «No fundo, este projeto é apenas sobre amor», diz o fotógrafo e jornalista.

 

O projeto surgiu há cerca de dez anos, quando Yann Arthus-Bertrand, mentor da Fundação Goodplanet, teve a ideia de fazer um retrato expressivo e abrangente dos habitantes da terra. Yann Arthus-Bertrand conta que a ideia lhe surgiu no decorrer de uma viagem de trabalho ao Mali. O helicóptero avariou e o fotógrafo teve de passar um dia inteiro com um aldeão, que lhe falou do seu dia a adia, dos seus medos e das suas esperanças. «Mais tarde, a voar sobre o planeta, dei por mim muito interessado no que podia aprender com os homens e mulheres que não conseguia ver debaixo de mim. Sonhei em ser capaz de ouvir o que tinham para dizer, descobrindo o que nos unia. Vista de cima, a Terra surgia como um vasto espaço a ser partilhado».

 

Os testemunhos e imagens destes recolhidos ao longo de sete anos foram reunidos numa vídeo-exposição que tem como objetivo combater estereótipos e promover a reflexão, a solidariedade e a tolerância. A exposição que agora chega a Portugal mostra uma visão do mundo de diferentes perspetivas. E a dos portugueses também lá está. Dividida por diferentes áreas (sonhos de criança, histórias de amor, desafios de vida, medos, etc..), existe uma dedicada só aos portugueses, que falam sobre si e a sua visão da vida. E os que visitam a exposição também têm, num estúdio de gravações, oportunidade de deixar o seu ponto de vista sobre a Humanidade.

 

A exposição resulta de uma coprodução entre a Fundação EDP e o Projeto Memória, a Fundação GoodPlanet, criada para promover o debate público sobre as questões ambientais.  “7 mil milhões de Outros” foi apresentada pela primeira vez em França, no Grand Palais, em Paris, em 2009, tendo-se seguido mostras noutras cidades. Vai estar patente no Museu da Eletricidade, em Lisboa até 8 de fevereiro de 2015.

 

Artigo anterior

É proibido envelhecer em Hollywood

Próximo artigo

Portugueses reclamam cada vez mais