Home»ATUALIDADE»ESPECIALISTAS»Nos santos populares, a rainha é a sardinha!

Nos santos populares, a rainha é a sardinha!

A sardinha é a melhor amiga dos portugueses no mês de junho, mas os seus benefícios indicam que o seu consumo se deveria estender a todo o ano. A nutricionista Helena Cid explica os múltiplos benefícios deste peixe tão apreciado pelos portugueses.

Pinterest Google+

A este tipo de ácidos gordos n-3 são ainda conhecidos vários benefícios se tomados durante a gravidez, porque são fundamentais para o desenvolvimento neurológico do feto e também para a composição da retina. Parece que o tecido da retina é composto por ómega 3 e o seu consumo melhora a acuidade visual.

 

Para além das virtudes dos ómega 3, os próprios peixes gordos são uma excelente fonte de cálcio, potássio, selénio, ferro, iodo e fósforo, um conjunto de minerais importantes para a manutenção da saúde. São também ricos em vitaminas A e D e em vitaminas do complexo B. Apesar de Portugal ser um dos com muitas horas de sol, muitos de nós tem défice de vitamina D, por isso, a ingestão de pescado é uma ótima forma de ingerir a vitamina D.

 

VEJA TAMBÉM: ELAS CHEGARAM! TUDO O QUE PRECISA DE SABER SOBRE CEREJAS

 

Voltando aos Santos Populares, sabemos que, à medida que a noite avança, os bailaricos proliferam em cada esquina. Para que esteja sempre bem-disposto, e com humor em alta, coma umas sardinhas, porque as investigações mostram que o défice de ácidos gordos ómega 3 foi identificado como fator que contribui para algumas flutuações de humor (depressão e desordens bipolares).

 

Importa referir que o consumo per capita de sardinhas aumenta drasticamente durante o mês de junho, mas o consumo de sardinha ou de outros tipos de peixe, não deve ficar só por esta época do ano.

 

VEJA TAMBÉM: VIDEO: COMO SE ABRE UMA OSTRA

No contexto de uma alimentação saudável, deverá consumir de peixe duas vezes por semana, variando o tipo de peixe. Os dados são evidentes, uma meta análise mostrou que ingerir peixe 2 a 4 vezes por semana reduz o risco de enfarte em 18% comparado com um consumo de menos de uma vez por mês.

 

Por Helena Cid,

Nutricionista

Artigo anterior

As mais belas paisagens da Europa para apreciar neste verão

Próximo artigo

As solteiras gostam de ser solteiras, já os solteiros nem por isso