Home»ATUALIDADE»ESPECIALISTAS»No mês do coração, não ignore a hipertensão

No mês do coração, não ignore a hipertensão

Estima-se que, em Portugal, 42% da população tem hipertensão arterial e que 32% do total das mortes se devem a doenças cardiovasculares.

Pinterest Google+
PUB

Assinala-se a 17 de maio o Dia Mundial da Hipertensão Arterial (HTA), uma data que pretende alertar e consciencializar a população para importância da prevenção, da deteção precoce e do tratamento da hipertensão arterial.

 

Qual a relevância deste tema?

A pressão arterial consiste na pressão ou “força” que o sangue faz sobre a parede dos vasos sanguíneos (neste caso, as artérias) durante a sua circulação.  Quando a pressão arterial se encontra dentro dos valores normais, permite que o sangue se distribua por todo o corpo, chegando a todos os órgãos de forma equilibrada. No entanto, o valor da pressão arterial não é sempre igual, variando ao longo do dia, fenómeno este que é “fisiológico”, ou seja, é saudável e contribui para o normal funcionamento do organismo. A hipertensão arterial ocorre quando esta pressão se encontra elevada de forma permanente ou crónica (pressão arterial ≥140/90 mmHg).

 

Estima-se que, em Portugal, 42% da população tem hipertensão arterial e que 32% do total das mortes se devem a doenças cardiovasculares.

 

VEJA TAMBÉM: DURMA BEM, PELA SUA SAÚDE!

 

Trata-se de uma doença que não dói nem causa desconforto, na maioria dos casos. Quando causa sintomas estes são geralmente: dores de cabeça, tonturas, zumbidos e aumento dos batimentos cardíacos. Mesmo quando é silenciosa (ou seja, não dá sintomas), é necessário avaliar e tratar a HTA, caso contrário, a pressão arterial elevada pode danificar o coração, os rins, o cérebro e os olhos, entre outras consequências negativas.

 

A longo prazo, a HTA é um dos principais fatores de risco para o desenvolvimento de Trombose ou Acidente Vascular Cerebral (AVC), ataque cardíaco (Enfarte do Miocárdio), insuficiência cardíaca, insuficiência renal, perda gradual da visão, doença arterial periférica e disfunção eréctil.

 

O que fazer para prevenir?

A HTA pode ser causada pelo stress, pela ingestão excessiva de sal, açúcar ou de álcool, pelo consumo de tabaco ou outras drogas, ou ainda pelo excesso de peso e colesterol elevado. Na maioria dos casos, a HTA surge pela existência de vários destes fatores em conjunto na mesma pessoa. Mais raramente, a HTA também pode ser causada por doenças como a apneia do sono, a doença renal, alterações hormonais, doenças cardíacas e doenças da tiroide.

Há vários cuidados que podem evitar o aparecimento da HTA:

– Evite o excesso de sal. Cozinhe sem sal e sem cubos de caldo. Retire o saleiro da mesa. Evite os enchidos e os alimentos enlatados e pré-cozinhados, pois contêm muito sal.

– Não fume.

– Cuida da sua alimentação. Faça uma alimentação diversificada. Coma fruta e legumes pelo menos vezes 5 vezes por dia. Evite as gorduras.

– Mantenha / atinja o seu peso ideal. Uns 4-5 kg a menos podem ser o suficiente para baixar a pressão arterial.

– Mantenha-se ativo. Faça exercício físico regular, pelo menos 45 min 3 vezes por semana. Caminhar, nadar ou andar de bicicleta são excelentes opções!

– Evite o álcool em excesso. Nunca beba mais que 1-2 copos de vinho (ou outra bebida com álcool) por dia. Consuma o café e chá em quantidades moderadas (2-3 chávenas por dia).

– Se sofre de diabetes, controle o açúcar do seu sangue.

 

Em suma…

Lembre-se que a HTA é um assassino silencioso, que, na maioria das pessoas, não causa sintomas, mas pode matar.

 

Meça periodicamente a sua pressão arterial. Faça consultas de rotina com a regularidade que o seu médico / enfermeiro recomendarem. Tenha um estilo de vida saudável e mantenha a sua pressão arterial controlada.

 

 

Artigo anterior

Do Antigo Egipto ao século XXI: factos curiosos sobre o batom

Próximo artigo

Primeira edição do Festival da Saudade decorre em Fátima