Home»LAZER»DICAS & VIAGENS»No inverno os Açores são ainda mais belos

No inverno os Açores são ainda mais belos

As ribeiras estão mais cheias para quem quer praticar canyoning, há mais vento para a prática de windsurf e kitesurf, os trilhos estão mais desafiantes para descobrir a beleza natural e arrebatadora do arquipélago. Estes são alguns dos argumentos utilizado numa nova campanha que quer desmistificar que os Açores só são bons para visitar no verão. E também são para todas as idades.

Pinterest Google+

Visitar os Açores é muito mais do que fazer os circuitos normais, realizados sobretudo na primavera e no verão. Visitar os Açores é ter contacto com a mais profunda natureza no seu estado puro, aprender sobre o papel dos vulcões, sobre microrganismos e sobre a vida no planeta.

 

É poder observar 27 das 80 espécies de cetáceos que existem no mundo, provar vinho produzido em zonas vulcânicas, fazer atividades na natureza mais softs ou radicais e compreender porque têm estas ilhas um ecossistema único no mundo. Adiantamos: é porque são todas de origem vulcânica e juntam-se aqui as águas frias do norte carregadas de nutrientes com as águas quentes do sul. Um festim para a vida marinha.

 

VEJA TAMBÉM: FAIAL, A VERDEJANTE ILHA AÇORIANA

 

Estas são algumas das ideias que o Turismo dos Açores e o operador turístico Solféiras querem dar a conhecer para levar mais turistas aos Açores ao longo de todo o ano, até porque é no inverno que as águas correm mais frescas e a vegetação é mais luxuriante. As lagoas também estão mais cheias e as cascatas mais vivas. «A observação de vulcões, por exemplo, passa por safaris onde as crianças conhecem os microrganismos que vivem nos vulcões. Quem vai às Furnas vê quatro ou cinco cores diferentes e isto deve-se aos microrganismos que geraram a vida na terra. Alguns dão origem à nova vaga de antibióticos», exemplifica Eduardo Elias, gestor de produto do Turismo dos Açores, sobre o muito que se pode aprender nestas ilhas.

 

Integradas nas Macaronésia – as chamadas ilhas afortunadas que também integram o arquipélago da Madeira, Canárias e Cabo Verde -, as nove ilhas dos Açores ocupam um milhão de quilómetros quadrados repletos de natureza luxuriante. Mas também encerram cinco séculos de cultura que aqui se cristalizou, e com diferenças distintas nas nove isoladas ilhas. Paisagens, tradições, gastronomia e arquitetura conferem a cada uma identidade própria.

 

VEJA TAMBÉM: CONDÉ NAST DISTINGUE AÇORES COMO UMA DAS MELHORES EXPERIÊNCIAS TURÍSTICAS A TER À NOITE

 

A não esquecer o Cozido das Furnas, confecionado em temperaturas vulcânicas, ou o atum, o polvo e toda uma imensidão de frutos do mar. O queijo da ilha, claro está, é outro do ex-libris, mas novas experiências com queijo estão também a surgir, bem como os vinhos produzidos neste ambiente vulcânico e salínico, que confere ao vinho um sabor único.

 

É para dar a conhecer toda esta diversidade que a Solférias desenhou uma campanha com sete temas de destaque nos Açores, onde é possível viver muitas aventuras: radicais, ecológicas, românticas, educativas, na natureza, em família e, claro, gastronómicas. «Queremos mostrar que os Açores são mais do que os tours normais. Há a rota da banana, o hicking, experiências interativas com crianças, por exemplo», comenta Cláudia Caratão, diretora de produto na Solférias.

 

Esta oferta específica está em vigor até março e 2019 e pode ser adaptada aos desejos dos visitantes. Pode incluir a visita a uma ou a mais ilhas. Ficou curioso? Veja agora algumas fotografias dos Açores na galeria acima.

Artigo anterior

Dieta mediterrânica incrementada com iogurte e queijo melhora saúde cardiovascular

Próximo artigo

Novo diretório family friendly quer ajudar as famílias portuguesas