Home»ATUALIDADE»NOTÍCIAS»Nigeriana será a primeira mulher na liderança da Organização Mundial do Comércio

Nigeriana será a primeira mulher na liderança da Organização Mundial do Comércio

Os membros da OMC fizeram história ao elegerem por consenso Ngozi Okonjo-Iweala como o sétimo diretor-geral da organização. Ao assumir o cargo a 1 de março, será a primeira mulher e a primeira africana a ocupar o lugar. A nova líder diz que recuperação da pandemia de COVID-19 será a grande prioridade.

Pinterest Google+
PUB

A nigeriana Ngozi Okonjo-Iweala foi escolhida, por consenso, como nova diretora-geral da Organização Mundial do Comércio, OMC. Ao assumir o cargo a 1 de março, será a primeira mulher e a primeira africana a ocupar o cargo. O mandato da nova chefe da organização terminará a 31 de agosto de 2025. Em comunicado, o presidente do Conselho Geral da OMC, David Walker, disse que «este é um momento muito significativo para a OMC».

 

Okonjo-Iweala disse que uma das principais prioridades será trabalhar para lidar rapidamente com as consequências económicas e de saúde causadas pela pandemia da COVID-19. «Uma OMC forte é vital se nos quisermos recuperar total e rapidamente da devastação causada pela pandemia da COVID-19. Estou ansiosa para trabalhar com os membros para moldar e implementar as respostas políticas de que precisamos para fazer a economia global funcionar novamente», declarou a nova líder.

 

A decisão do Conselho Geral ocorreu após meses de incerteza que surgiram quando os Estados Unidos inicialmente se recusaram a aderir ao consenso em torno de Okonjo-Iweala e apoiaram o ministro do Comércio da República da Coreia, Yoo Myung-hee. Mas após a decisão de Yoo a 5 de fevereiro, de retirar sua candidatura, o governo do recém-eleito presidente dos EUA Joe Biden, abandonou a objeção dos EUA e anunciou que Washington estendia o seu «forte apoio» à candidatura de Okonjo-Iweala.

 

O processo de seleção de um novo diretor-geral foi desencadeado a 14 de maio, quando o ex-diretor-geral, Roberto Azevedo, informou os membros da OMC que renunciaria ao cargo um ano antes do término de seu mandato. Posteriormente, deixou o cargo a 31 de agosto.

 

 

Artigo anterior

Das matrafonas aos cabeçudos: o top 5 do Carnaval em Portugal

Próximo artigo

Malassadas, o doce típico do Carnaval