Home»BEM-ESTAR»NUTRIÇÃO»Não é só a malagueta. Os alimentos picantes que fazem bem à saúde

Não é só a malagueta. Os alimentos picantes que fazem bem à saúde

Pimenta, malagueta, canela, açafrão ou curcuma, alho, gengibre, cominhos… estes condimentos têm sabores intensos e não agradam a todos os palatos. Mas são múltiplos os benefícios que os alimentos com travo picante trazem à saúde. A nutricionista Catarina Sofia Correia enumera alguns.

Pinterest Google+

Melhoram a saúde cardiovascular

Habitualmente um maior consumo de especiarias está associado à diminuição da adição de sal nos alimentos. Consequentemente, a diminuição de sal na dieta está associada a uma menor incidência de mortes causadas por doenças cardiovasculares. Por outro lado, alguns estudos sugerem que as especiarias podem reduzir os níveis de colesterol “mau” (LDL) no organismo quando usadas com moderação.

 

Aceleram o metabolismo

Vários estudos indicam que certas especiarias como o cominho, canela, açafrão, pimenta e pimentão contribuem para aumentar a taxa de repouso metabólico e diminuir o apetite. Ainda assim, lembre-se que um único alimento por si só não é a solução para uma significativa perda de peso. Para esse efeito deve combinar o consumo deste tipo de alimentos com uma dieta saudável e um estilo de vida ativo.

 

VEJA TAMBÉM: TOP 10 DE 2020: ESCALA DE SCOVILLE MEDE INTENSIDADE DOS PICANTES

 

Combatem a inflamação e possuem uma ação antibacteriana

A curcumina, uma substância presente na curcuma, reduz a inflamação do organismo. Da mesma forma, segundo a medicina ayurvédica, as propriedades anti-inflamatórias do gengibre e do alho melhoram os sintomas de diversas doenças autoimunes, dores de cabeça e até náuseas. Além disso, o cominho e a curcuma possuem poderosas propriedades antioxidantes e antibacterianas sendo o seu consumo benéfico contra as bactérias nocivas para o organismo.

 

Previnem o aparecimento de cancro

A capsaicina, a substância que dá o sabor quente e picante às pimentas, demonstrou em diversos estudos possuir propriedades anticancerígenas retardando e destruindo as células danificadas.  Apesar dos benefícios para a saúde que aqui foram referidos, é importante enfatizar que o seu consumo deve ser moderado. Isto devido à capsaicina.

 

Para as pessoas que são mais sensíveis aos sabores mais fortes, ou que possuem alguma patologia no trato gastrointestinal poderão, ao consumir quantidades extremas, sentir a curto prazo algum desconforto como dor de estômago, diarreia ou vómitos. Por esta razão, se não estiver habituado a consumir alimentos picantes ou muito condimentados, então deverá aumentar o seu consumo de forma gradual para minimizar o aparecimento de possíveis sintomas indesejáveis.

 

Já agora, descubra qual o melhor vinho para as refeições picantes.

 

 

 

Artigo anterior

Voar com classe: as 10 melhores classes executivas do mundo

Próximo artigo

David Rasteiro: «Os resultados dos procedimentos estéticos no rosto são cada vez mais naturais»