Home»BEM-ESTAR»COMPORTAMENTO»Mostras os teus limites ou limitas-te?

Mostras os teus limites ou limitas-te?

Acontece dizeres sim quando querias dizer não? Deixas que invadam o teu espaço ou o teu tempo privado? Não sabes como traçar e mostrar os teus limites de forma saudável? Sabes como respeitar os limites pessoais de colegas, amig@s e familiares?

Pinterest Google+
PUB

Conheço pessoas que tiveram dificuldades na convivência e partilha de espaço e tempo, com família ou alguém do trabalho, ao passarem pelo confinamento do último ano. Algumas optaram por se separarem, seja de companheir@ ou de uma empresa; outras têm vindo a aprender como mostrar os seus limites; outras ainda estão a tentar saber como o fazer. De forma saudável, alinhada, gentil mas firme.

 

Para algumas foi mais rápido: saltou-lhes a tampa! Sem saberem como, ou sem terem antes traçado e mostrado os seus limites, deixaram andar. A certa altura, “sentiram os calos pisados” e… BUM! “Caldo entornado”!

 

Eu que o diga. Há uns meses, “explodi” em reação a sentir alguns limites pessoais violados. Em segundos, tive consciência do que e como tinha acontecido. Ainda consegui dizer que preferia que a conversa tivesse acontecido com outra energia, noutra altura, de outra forma.

 

Consegui também ter recursos internos para mudar a minha voz e dizer, ou repetir de forma diferente, algumas coisas, mostrando um limite meu; e clarificar algumas coisas que tinham sido mal interpretadas naquela conversa.

 

Muito haveria a dizer sobre quando somos nós, conscientemente ou não, a “invadir” ou desrespeitar os limites da outra pessoa. Mas essa conversa fica para outro momento. Agora quero partilhar sobre identificar e mostrar um limite pessoal a outra pessoa com quem interagimos regularmente.

 

Como exercício, e se for importante para ti, convido-te:

. Identifica um limite pessoal teu que é importante que sintas ser preservado, respeitado. Começa por um. Talvez não o maior, mas também sem ser um que sintas pouco relevante. O que te fizer sentido.

 

. Encontra mais do que 3 respostas a estas perguntas: Se cruzam a linha desse teu limite, o que acontece e como te sentes? Esse limite específico é te importante porquê? Mostrares esse teu limite, contribui para quê? Respeitarem esse teu limite serve para quê? Como te sentes e o que ganhas ao ter esse teu limite?

 

. O que é um exemplo (ação ou palavra) de alguém transgredir esse limite? Existem outros exemplos de como alguém pode ir além deste? Se sim, o que podes fazer e dizer para prevenir que tal aconteça? Dentro do que controlas, claro.

 

Existem exceções (contextos, circunstâncias, …) ao respeitar desse limite? Se sim, quais, quando, onde, como?

 

. Como te faz sentido mostrar esse limite de forma alinhada, saudável, sem gerar resistência, e firme para que a outra pessoa o conheça, perceba e respeite?

 

Se tiveres alguma pergunta ou dificuldade, conheces alguém que reconheces que define e mostra os seus limites da forma que queres? Experimenta fazer como essa pessoa faz.

 

Desconfortável por não estares habituad@ a mostrar os teus limites? Começa pequeno, um passo de cada vez. P. ex., pede a um@ amig@ – que tenha nada ver com a situação onde queres o limite respeitado, para simulares com el@.

 

Queres ganhar maior consciência e desenvolver essa competência de definir e mostrar os teus limites? Contrata um@ profissional, coach, terapeuta, psicólog@, mentor@, ou outro. Exprimir sentimentos, preferências e limites pessoais é saudável, libertador, possibilitador. Também é teu direito. Desejo que usufruas dele.

 

Este texto ajudou de alguma forma? Comenta. Partilha com alguém. Recomenda.   Tens perguntas ou alguma situação que desejas diferente? Envia-me email ou mensagem nas redes sociais. Vamos falar!

Artigo anterior

Alimentos fermentados aliados da saúde (sobretudo do intestino)

Próximo artigo

Prepare o quarto para a primavera